Em Mônaco, Max Mosley não será representante da FIA

Chefão da FIA não quer causar problemas e constrangimentos à família real durante o GP de Mônaco

Agência Estado

16 de maio de 2008 | 10h08

O presidente da FIA, Max Mosley, não representará a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) durante os eventos do GP de Mônaco de Fórmula 1. O inglês voltará a freqüentar o círculo da categoria, em sua primeira aparição em uma etapa do Mundial desde o escândalo sexual revelado pela imprensa inglesa no fim de março. A ausência de Mosley nos compromissos da federação em Mônaco tem como intenção não causar constrangimentos à família real, sempre presente nos eventos ligados ao Grande Prêmio. O representante da FIA no principado durante o fim de semana será Marco Piccinini, cidadão monegasco influente na FIA.O escândalo sexual envolvendo Mosley - uma orgia sadomasoquista com motivos nazistas - pode tirar o inglês do comando da entidade máxima do esporte a motor. No dia 3 de junho, o Conselho Mundial da FIA fará reunião extraordinária para decidir o futuro de seu atual presidente.

Tudo o que sabemos sobre:
Max MosleyFIAFórmula 1F-1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.