Glenn Dunbar/ Divulgação
Glenn Dunbar/ Divulgação

Em negociação, Luiz Razia confia em lugar na Fórmula 1 em 2013

Brasileiro aposta em vice-campeonato no G2 para ter chance na categoria de elite do automobilismo

Felipe Rosa Mendes, Agência Estado

26 de novembro de 2012 | 08h05

SÃO PAULO - À espera de um lugar ao sol, Luiz Razia está mais confiante em realizar seu sonho de se tornar um piloto da Fórmula 1. Depois de bater na trave neste ano, ao ser preterido no grid da categoria, o baiano ampliou seu leque de opções, abriu negociações com diversas equipes e aposta no vice-campeonato da GP2 e no apoio de investidores para obter seu espaço na F-1 em 2013.

"No ano passado, a gente estava bastante confiante porque tínhamos obtido bons resultados", afirma o brasileiro, que era piloto reserva da Caterham, então chamada de Team Lotus. "Neste ano, os resultados foram ainda melhores. E conseguimos investidores. Isso ajuda bastante", revela, confiante. "Na minha carreira, eu sempre fui confiante. Se não fosse assim, não teria chegado até este momento."

Após ser preterido pela Caterham, no fim de 2011, o brasileiro de 23 anos decidiu abrir o leque de opções na tentativa de encaminhar sua entrada na Fórmula 1. Neste ano, se tornou piloto de testes da Force India, manteve o contato com a Caterham e abriu negociação também com a Marussia. As três equipes ainda não confirmaram suas duplas de titulares para a 2013.

"Abri negociação com as três. No começo, chegamos a negociar com todas as equipes. Mas agora só tem estas três", diz o piloto, que garante preferir a Force India. "Ainda existe uma esperança de fechar com eles. Mas não posso me dar ao luxo de ficar escolhendo. Ainda não sou um piloto de F1. Sou um aspirante."

De olho nas últimas vagas restantes no grid da Fórmula 1 para 2013, Razia aposta no bom relacionamento com as três equipes. "Felizmente, tenho bons relacionamentos. E isso ajuda bastante a progredir nas negociações. Aqui [na F1] não é tanto o que você merece, mas é o que você consegue pegar. E eu tenho que conquistar o meu espaço", afirma o brasileiro, que também conta com o vice-campeonato na GP2 neste ano para pleitear um espaço na F1.

Razia garante que não pretende voltar à GP2, mesmo que sua investida na Fórmula 1 não dê resultados. O brasileiro espera ter boas notícias nas próximas semanas. "As negociações estão bem avançadas. Gostaria de ter algo de concreto até o início de dezembro. Preferia passar o Natal mais tranquilo. Estamos tendo várias reuniões. Quem sabe na próxima semana, a gente já tem alguma coisa concreta", avisa.

Caso não tenha sucesso nestas negociações, o brasileiro admite voltar a ser piloto reserva de alguma equipe na Fórmula 1 em 2013. "É a última coisa que eu faria. Já passei por isso e conheço o limite desta posição na equipe", comenta, sem perder a confiança no futuro. "Estou em um momento tão bom da minha carreira que eu não posso perder esta oportunidade."

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Luiz Raziavelocidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.