Em respeito a Bianchi, Marussia correrá com apenas um carro

Em respeito a Bianchi, Marussia correrá com apenas um carro

Um dia após confirmar substituto, equipe volta atrás e terá apenas um carro no grid do GP da Rússia. Pilotos prestam homenagens

Estadão Conteúdo

10 de outubro de 2014 | 09h17

Um dia depois de confirmar o norte-americano Alexander Rossi como substituto de Jules Bianchi, que segue internado estado "crítico" após sofrer grave acidente no último domingo, em Suzuka, a Marussia anunciou oficialmente nesta sexta-feira que optou por disputar o GP da Rússia de Fórmula 1, neste domingo, com apenas um carro no grid. A decisão foi tomada em respeito ao piloto francês, que teve uma séria lesão cerebral ao bater o seu carro contra um trator que removia a Sauber de Adrian Sutil durante a disputa do GP do Japão.

Desta forma, o inglês Max Chilton será o único piloto da equipe nesta prova que será histórica para os russos, que pela primeira vez abrigarão uma etapa da categoria máxima do automobilismo. "Apesar da presença em Sochi de Alexander Rossi, nominado piloto reserva oficial para o GP da Rússia de 2014, a equipe sente fortemente que alinhar um único carro, do piloto número 4, Max Chilton, é a ação apropriada diante das difíceis circunstâncias do fim de semana", informou a equipe, por meio de um comunicado.

Para homenagear Bianchi, a Marussia manteve o carro que seria usado pelo piloto na Rússia na garagem do circuito de Sochi. "A equipe do carro de Jules montou um segundo carro, que foi vistoriado e está pronto para correr, e ele ficará em seu lugar no box durante todo o fim de semana. Em apoio a Jules e sua família, a equipe usará o símbolo #JB17 para assegurar que, embora não esteja conosco aqui, ele está correndo com a Marussia", ressaltou a escuderia.

Único piloto da Marussia para a prova deste domingo, Chilton também ressaltou nesta sexta-feira a sua tristeza por não poder contar com o seu companheiro de equipe ao seu lado no grid do GP da Rússia. "Não sei como expressar em palavras o quanto estou devastado pelo que houve com Jules. O apoio da família da Fórmula 1 tem sido incrível e tudo o que podemos fazer é apoiar os familiares de Jules neste momento difícil. Será um fim de semana muito emotivo para toda a equipe, mas tentaremos ir em frente e seguir rezando por Jules", ressaltou o britânico.

ESTADO CRÍTICO

Ao mesmo tempo em que a Marussia homenageia o francês, o pai do piloto, Philippe Bianchi, disse nesta sexta-feira que o estado de saúde do seu filho segue "crítico, mas estável" no Mie General Hospital em Yokkaichi, no Japão. Em entrevista ao jornal francês Nice Matin, ele destacou: "Não houve nenhuma mudança notável (em sua condição). Jules está lutando assim como sempre fez, da mesma maneira que faria se estivesse correndo. Ele é forte".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.