Jennifer Lorenzini/Reuters
Jennifer Lorenzini/Reuters

Em vídeo, Lewis Hamilton faz campanha para conter queimadas na Amazônia

Piloto da Mercedes pede doações para a preservação e diz que a floresta é fundamental para conter o aquecimento global

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de setembro de 2020 | 12h56

O hexacampeão mundial de Fórmula 1, Lewis Hamilton, publicou nesta quinta-feira um vídeo para pedir a mobilização das pessoas para a preservação da Amazônia. O piloto da Mercedes fez uma postagem nas redes sociais para convocar os seguidores a participarem de uma campanha de doação virtual para a ONG ambiental internacional WWF com o objetivo de ajudar a conter os incêndios florestais.

"Se nós perdermos a Amazônia, nós vamos perder a luta contra a crise climática. É simples. E o tempo está correndo", escreveu Hamilton. No depoimento gravado para o vídeo, o piloto aparece acendendo um fósforo enquanto imagens da floresta são exibidas. No material, o piloto cita a devastação da Amazônia e o impacto disso para índios e animais que moram no local.

"No último verão, a Floresta Amazônica queimou. O fogo foi aceso de forma deliberada, conduzido pelo desmatamento. Isso causou uma devastação generalizada e um inimaginável sofrimento para as comunidades indígenas e a vida selvagem que vive por lá", disse Hamilton. O piloto é bastante atuante em causas ambientais e também em movimentos antirracistas. Inclusive, no último domingo, após vencer o GP da Toscana ele subiu ao pódio com uma camisa em referência a Breonna Taylor, americana negra morta em março por policiais.  

No ano passado o piloto chegou a publicar no Instagram uma foto de um incêndio na Amazônia para pedir providências. Semanas atrás, o hexacampeão lançou uma equipe para disputar o Mundial de rali com carro elétrico. A categoria visa promover a conscientização ambiental ao ter trajetos em locais que sofreram impactos ambientais recentemente, inclusive a Floresta Amazônica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.