Boris Streubel/Laureus
Boris Streubel/Laureus

Emerson Fittipaldi nega crise financeira: 'Tenho patrimônio para pagar todo mundo'

Bicampeão mundial de Fórmula 1 garante que está se recuperando financeiramente e minimiza bloqueio de contas

Daniel Batista, enviado especial a Mônaco, O Estado de S.Paulo

17 de fevereiro de 2019 | 14h30

Bicampeão mundial de Fórmula 1, em 1972 e 74, Emerson Fittipaldi mais uma vez voltou a ser notícia por causa de problemas financeiros. O ex-piloto teve suas contas e da empresa EF Marketing e Comunicação, ligada a ele, bloqueadas pela Justiça, em razão de uma dívida com o Banco do Brasil, mas não foi encontrado valor algum em nenhuma das contas.

A informação foi divulgada pelo UOL e o Estado conversou com Emerson para ele explicar o que está acontecendo. “Já estava tudo resolvido. Estou me recuperando. Fizeram isso para dar uma notícia ruim e eu não estou nem aí. Issoo já está acontecendo há algum tempo. Estou me recuperando e, se Deus quiser, tenho patrimônio para pagar todo mundo. Estamos lutando para se recuperar”, contou o ex-piloto, durante evento realizado em Mônaco, para a entrega do Prêmio Laureus.

Emerson contou que o motivo de ter “quebrado” foi ter confiado na economia do país e fazer uma aposta errada. “Acreditei no 'Brasilzinho'. Investi muito em usina de etanol, que era o plano do Governo Lula e Dilma, e quebraram todo mundo. O que eles fizeram? Usaram a Petrobrás com a gasolina e deixaram o programa de etanol de fora, algo que seria a solução do interior do Brasil”, reclamou.

O desabafo econômico do bicampeão mundial foi além. “Quantas usinas poderiam estar gerando empregos? Minhas usinas, no Mato Grosso do Sul, iria dar 4.500 empregos diretos, em uma cidade pequena. Iria sustentar a cidade, praticamente. Tivemos que abandonar o projeto”, contou o ex-piloto.

Emerson foi processado pelo Banco do Brasil em 2014, por uma dívida no valor de R$ 195.595,73 para financiamento rural. Entretanto, ele não chegou a pagar nenhuma das parcelas e o caso foi para a Justiça.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.