Frank Augstein/AP
Frank Augstein/AP

Emocionado, Schumacher celebra 20 anos de Fórmula 1

Alemão marcou época na categoria e quebrou todos os recordes possíveis na pista

AE, Agência Estado

26 de agosto de 2011 | 13h08

SPA - Aos 42 anos, o heptacampeão Michael Schumacher viveu dia especial nos treinos livres para o GP da Bélgica de Fórmula 1. Um dia antes, o alemão completou exatos 20 anos de carreira na categoria, e nesta sexta ele lembrou de alguns de seus principais momentos na posta. E também deu mostras de que ainda sabe o que faz: Schumacher liderou a chuvosa primeira sessão dos treinos livres, com o tempo de 1min54s355.

"Foi uma emoção especial poder estar na pista nesta sexta-feira para o primeiro treino deste fim de semana de aniversário aqui em Spa. Muitas coisas mudaram nestes últimos 20 anos, mas o clima não", declarou o alemão.

No dia 25 de agosto de 1991, então com 22 anos,  Michael Schumacher fazia sua estreia na Fórmula 1, e no mesmo circuito de Spa-Francorchamps, onde está neste fim de semana. Naquela época, ele corria pela Jordan, substituindo o luxemburguês naturalizado belga Bertrand Gachot. O piloto titular havia sido preso por envolvimento em briga de trânsito, coisas impensáveis atualmente na F-1.

Desde então foram 20 anos de F-1, sete títulos mundiais e uma aposentadoria renunciada. Longe de seus melhores dias desde a volta à categoria, na última temporada, pela Mercedes, o alemão acabou nesta sexta-feira com o 11.º tempo no geral. A queda de rendimento no treino aconteceu quando a pista secou, na segunda sessão. Com o tempo de 1min51s922, ele ficou longe de Mark Webber, da Red Bull, que liderou, com 1min50s321.

"Foi um dia típico em Spa, com mudanças no clima e pouca disputa com pista seca. As condições fizeram com que não conseguíssemos fazer um bom trabalho nos ajustes, mas fizemos o possível com a pista seca. Ainda assim, será difícil encontrar bom ajuste para este domingo, porque o clima é sempre imprevisível aqui", avaliou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.