Josep Lago/AFP
Josep Lago/AFP

Equipes da Fórmula 1 rejeitam novos pneus e Pirelli repetirá compostos em 2020

Como mudanças e testes não agradaram, compostos não vão passar por alteração para a próxima temporadea

Redação, Estadão Conteúdo

10 de dezembro de 2019 | 10h58

Por unanimidade, as equipes da Fórmula 1 decidiram rejeitar os novos pneus da Pirelli projetados para a temporada 2020. Em decisão anunciada nesta terça-feira, a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) confirmou que a fornecedora italiana vai manter os compostos deste ano no próximo campeonato.

"Após os testes e análises dos pneus da nova especificação para 2020, foi feita uma votação sobre a borracha para a temporada 2020, de acordo com o artigo 12.6.1 do Regulamento Técnico. A votação resultou em uma decisão unânime das equipes da Fórmula 1 para manter a especificação 2019 para a temporada 2020", anunciou a FIA, em comunicado oficial.

Com a decisão uniforme das dez equipes da F-1, a Pirelli acabou desperdiçando meses de trabalho, nos quais vinha atuando na produção dos pneus que seriam utilizados pelos carros em 2020.

"A FIA gostaria de agradecer a Pirelli e a todas as equipes pelo seu trabalho e colaboração para melhorar os pneus para a temporada 2020 e além. De qualquer forma, as lições aprendidas vão ser muito valiosas para a melhora dos pneus no futuro", disse a entidade.

Os novos pneus começaram a ser testados pelos pilotos no primeiro treino livre do GP dos Estados Unidos, o antepenúltimo da temporada 2019. Na ocasião, a maioria dos pilotos criticou ou exibiu restrições quanto aos compostos fornecidos pela Pirelli, visando a nova temporada.

A mesma avaliação foi mantida depois dos testes realizados na semana passada em Abu Dabi, dias depois do GP disputado nos Emirados Árabes Unidos, que finalizou o campeonato. Diante das avaliações negativas, a FIA levou os novos pneus à votação, que contou com rejeição completa das equipes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.