Equipes e FIA se reunirão em Barcelona para discutir novo motor

Propulsor para temporada de 2013 deverá ter apenas quatro cilindros, com 1,6 litro de volume total

EFE

08 de maio de 2011 | 14h45

ISTAMBUL - Representantes das equipes de Fórmula 1 e o presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), o francês Jean Todt, se reunirão no próximo dia 21 em Barcelona, durante o Grande Prêmio da Espanha, para tratar da introdução em 2013.

O novo dispositivo, que é considerado mais ecológico e terá 1,6 litro e quatro cilindros, atualmente tem rejeição da maioria dos envolvidos na F-1, incluindo o chefe da principal categoria do automobilismo, Bernie Ecclestone.

"Não há volta, esta regulamentação foi aprovado de forma unânime pelos membros do Conselho Mundial de Esporte a Motor, composto por 26 integrantes e no qual há dois representantes da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, como organizador do campeonato, e a escuderia Ferrari, como a mas antiga" afirmou Todt, que, no entanto, deixou aberta a porta para uma mudança de pensamento.

"Estamos em um mundo onde as coisas podem mudar, não é só nosso pequeno mundo da Fórmula 1, há outras coisas acontecendo no planeta. Podem acontecer muitas coisas e então teria que reconsiderar a ideia do novo motor. Mas, por enquanto, não há nenhuma razão de voltar a trás", completou o presidente da FIA.

Veja também:

link Vettel vence na Turquia e dispara na Fórmula 1

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Bernie EcclestoneJean Todt

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.