Equipes pressionam FIA por mudanças

Nove das dez equipes que disputam a Fórmula 1, 9 - a exceção é a Ferrari - enviaram nesta segunda-feira ao presidente da FIA, Max Mosley, uma proposta de como dever ser a competição, dos ponto de vista técnico e esportivo, a partir de 2008, o primeiro ano depois do fim do atual Acordo da Concórdia, conjunto de regras que rege as relações das escuderias com a FIA e a FOM, de Bernie Ecclestone, o promotor do evento.O texto diz claramente: "Considerando-se que nossa aliança representa 90% do grid, além da opinião de proprietários dos circuitos, responsáveis por patrocínios e até os fãs da Fórmula 1, as equipes e as montadoras confiam que a FIA irá analisar tudo com extrema atenção."A maior parte dessas equipes pertence à Grand Prix Manufactures Association (GPMA), sucessora da Grand Prix World Championship (GPWC), empresa criada para defender os interesses das montadoras de automóveis que investem na Fórmula 1.A GPMA propôs uma reunião com Mosley para discutir a questão. Mas já adiantaram: "Cortaremos os custos onde for possível para o bem do esporte, lembrando, no entanto, a importância da introdução de novas tecnologias." Mosley deseja uma volta ao passado, ou seja, câmbio manual, fim do controle de tração, uso de uma central eletrônica e um sistema de freios comum a todos, dentre outras importantes mudanças no que se faz hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.