Greg Baker/AP
Greg Baker/AP

Escolha da Pirelli pode tornar o GP da Índia menos previsível

Será um desafio administrar os médios e os macios no calor intenso

Livio Oricchio, Enviado Especial - O Estado de S.Paulo

21 de outubro de 2013 | 15h06

NICE - Sebastian Vettel, da Red Bull, vencedor das cinco últimas etapas do campeonato, precisa de muito pouco para garantir o tetracampeonato domingo, no GP da Índia, no circuito Buddh, em Nova Delhi. Bastará um quinto lugar, independentemente da classificação final de Fernando Alonso, da Ferrari. O cenário da corrida este ano é bem diferente do de 2012. Vettel desembarcou na Índia, 17.ª prova do calendário e não 16.ª, como este ano, com 215 pontos, enquanto Alonso, segundo colocado, tinha 209. A diferença entre ambos era de apenas 6 pontos (215 – 209).

Hoje, a vantagem de Vettel é imensa. Soma 297 diante de 207 de Alonso: nada menos de 90 pontos. Há em jogo nas cinco corridas que restam, incluindo a da Índia, 125 pontos (25 x 5). Entre os construtores não é diferente. A Red Bull se apresentou em Nova Delhi com 367 pontos. A Ferrari, 282. Entre a líder e vice-líder havia apenas 85 pontos. Agora, a Red Bull conseguiu com Sebastian Vettel e Mark Webber 445 pontos. A Ferrari, com Fernando Alonso e Felipe Massa, 297. A diferença que em 2012 era de 85 pontos este ano é de 148.

A prova do ano passado no circuito Buddh foi amplamente dominada por Vettel. Largou na pole position e não deixou de ser líder em nenhum instante. Não foi ameaçado por ninguém. Será surpreendente se este ano for diferente levando-se em conta o que a Red Bull e Vettel têm feito desde a volta das férias, em agosto: Vettel ganhou todas as etapas: Bélgica, Itália, Cingapura, Coreia e Japão. Há um fator, porém, que pode tornar o GP da Índia menos previsível no próximo fim de semana. A Pirelli levou para o circuito Buddh no ano passado os pneus duros e macios. Mas agora são os pneus médios e macios.

É uma opção menos conservadora para uma pista exigente. Mais: a previsão é de muito calor, segundo o site oficial da Fórmula 1. Os pneus médios e macios podem levar as equipes a optarem por estratégias mais ousadas, em especial as que não têm muito a perder e seu carro já ficou para trás em termos de desempenho se comparado ao da Red Bull e até da Mercedes, como é o caso da Ferrari. Ou da Lotus, que sabidamente preserva mais os seus pneus. O primeiro treino livre do GP da Índia será sexta-feira, às 10 horas em Nova Delhi, correspondente às 3 horas no horário de Brasília.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.