Espanhóis condenam Ralf Schumacher

Um dos maiores ídolos do esporte na Espanha, se não o mais popular hoje, Fernando Alonso, piloto da equipe Renault, recebeu todo tipo de apoio da imprensa a suas duras acusações contra Ralf Schumacher, da Williams, pelo ocorrido no GP de Mônaco, domingo. "Ralf provoca acidente a quase 300 km/h", é a manchete do Marca, diário esportivo. Já na Alemanha, os jornais se dividiram entre atribuir a Juan Pablo Montoya a responsabilidade pelo abandono de Michael Schumacher, o primeiro da temporada.Na 41ª volta de um total de 78, Alonso, até então o segundo colocado, foi ultrapassar Ralf, retardatário, e tendo apenas a trajetória por fora, dentro do túnel, para superá-lo, acabou passando sobre a parte suja do asfalto e, sem aderência, colidiu contra a grade a cerca de 270 km/h. O safety car entrou na pista. Na 46º volta, uma antes da prova reiniciar-se, Schumacher freou forte dentro do túnel, atrás do safety car, para aquecer os freios. Montoya estava próximo e, sem conseguir evitar o choque, lançou a Ferrari do alemão contra a grade. Os dois acidentes, decisivos para o resultado, ganharam as atenções no GP de Mônaco. A FIA interpretou os dois como "normais de uma competição." "Ralf deixa Alonso sem a vitória" é o título do AS, tablóide de Madrid. "O austuriano lutava pela vitória com seu companheiro, Trulli, ganhador, mas uma acelerada de Ralf, em plena ultrapassagem, o fez bater no muro." A seguir o jornal publica uma declaração de Alonso: "A sua explicação pode ser dada a minha sobrinha, de dois anos, não a mim." A revolta do piloto se deve, segundo comentou, ao fato de Ralf ter tirado o pé do acelerador para facilitar a ultrapassagem, mas tão logo Alonso iniciou a manobra, o alemão da Williams acelerou tudo de novo, para que ele ficasse por fora, na curva, dentro do túnel, sem a possibilidade de completá-la. "KO forçado" estampa com letras grandes o Mundo Deportivo, enquanto o Sport tem "Ralf coloca Alonso para fora." Sobre o acidente envolveu Schumacher e Montoya, o Bild, alemão, escreveu: "Schumi foi acertado por Montoya quando o safety car ainda estava na pista." O Berliner Morgenpost seguiu a mesma linha de culpar o colombiano, não adotada nem mesmo pelo piloto da Ferrari: "Montoya bate em Schumi." Postura neutra do Frankfurter Allgermeine, com "Acidente aconteceu no túnel, onde nem tudo na F-1 funciona da mesma forma." O Sport 1 responsabilizou a pouca visibilidade dentro do túnel pelo que se passou. Schumacher não abandonava uma prova desde o GP Brasil de 1993. Não acusou Montoya, mas disse: "Qualquer outro piloto teria evitado o acidente." O colombiano estava muito próximo, segundo o alemão.Williams - Patrick Head, que deixa a direção técnica do time inglês depois de 27 anos de brilhantes trabalhos, afirmou nesta segunda-feira, em entrevista no site da revista Autosport, que Mark Webber "tem o perfil de piloto que a sua equipe procura." A Williams substituirá seus dois pilotos, Juan Pablo Montoya e Ralf Schumacher, em 2005. Webber, hoje na Jaguar, deverá ficar com uma das vagas. Jacques Villeneuve fará testes com o modelo FW26 e pode retornar ao time que correu de 1996 a 1998, sendo campeão do mundo em 1997.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.