REUTERS/Paulo Whitaker
REUTERS/Paulo Whitaker

Estreante na F-1, Stroll exalta aprendizado com Massa na Williams

"Ele é um grande parceiro dentro da equipe. Tem muito conhecimento para ajudar o time", declarou o canadense

Felipe Rosa Mendes, Estadão Conteúdo

09 Novembro 2017 | 15h06

O piloto canadense Lance Stroll é um dos estreantes na atual temporada da Fórmula 1. Aos 18 anos, gerou desconfiança no grid da categoria ao alinhar com a Williams no GP da Austrália, em março. Stroll pulou etapas em sua carreira, graças ao aporte financeiro do pai bilionário, e chegou à F-1 praticamente sem experiência de pilotar monopostos. Por essa razão, contou com o apoio decisivo de Felipe Massa neste ano.

+ Dez anos após título no Brasil, Kimi Raikkonen lamenta temporada ruim em 2017

Um dos mais experientes no grid, o brasileiro de 36 anos ajudou no desenvolvimento do companheiro ao longo de toda a temporada. E, nesta quinta-feira, Stroll reconheceu a importância do "professor" Massa. "Ele é um grande parceiro dentro da equipe. Tem muito conhecimento para ajudar o time, sabe muito sobre o carro, como melhorá-lo nos fins de semana. E tem uma carreira inacreditável", afirmou o jovem canadense, hoje com 19 anos.

Massa, por sua vez, reconheceu a evolução exibida pelo pupilo, que sofreu com batidas bobas e acidentes evitáveis no começo da temporada. "Ele vem se desenvolvendo muito bem. Está aprendendo muito rápido. E tem um bom professor também!", brincou o brasileiro, que aproveitou a oportunidade para cutucar o companheiro, superado com frequência por ele nos treinos classificatórios.

"Provavelmente, no ano que vem ele poderá obter colocações melhores nos treinos classificatórios para ganhar do futuro companheiro", disse Massa, entre risos. O brasileiro, que deixará a categoria neste ano, venceu a maior parte das batalhas internas contra o companheiro nos treinos de sábado. Mas foi batido nas corridas e está a quatro pontos de Stroll no Mundial de Pilotos.

Questionado sobre o seu futuro parceiro na Williams, Stroll brincou para desconversar. "Acho que isso depende da equipe, não é comigo. Eu esperava ter (Lewis) Hamilton ao meu lado, mas parece que não está disponível", disse o canadense, referindo-se ao tetracampeão da Mercedes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.