Danny Moloshok/Reuters
Danny Moloshok/Reuters

Estrela nos EUA, Danica Patrick não quer a Fórmula 1

Norte-americana é estrela na Fórmula Indy diz que já teve 'a oportunidade de explorar a Europa' antes

Agência Estado

20 de julho de 2009 | 09h40

NOVA YORK - Uma das três equipes que estrearão na Fórmula 1 no ano que vem - ao lado da Campos e da Manor -, a norte-americana USF1 pretende fazer barulho para tentar popularizar a categoria nos Estados Unidos. Só que o time não contará com aquele que julgava ser um de seus principais trunfos para virar assunto na mídia de seu país.

Danica Patrick, estrela da Fórmula Indy, afirmou que não tem a menor intenção de tentar a sorte na principal categoria do automobilismo. "Não gostaria de correr na Fórmula 1. Já tive a oportunidade de me aproximar da categoria, mas ir para lá é algo que não está no meu coração", disse ela, em entrevista ao jornal norte-americano Los Angeles Times.

Desde 2005 na Fórmula Indy, Danica tem se mostrado uma piloto competente, mas não foi por isso que virou a sensação da categoria. O fato de ser mulher (coisa rara no automobilismo) e, principalmente, o fato de ser bonita fez da norte-americana de 27 anos uma estrela. Os dirigentes da USF1 sabem que ela seria uma grande atração também na principal categoria do automobilismo, o que certamente seria muito lucrativo para o time.

Mas Danica tem outros planos. "Eu gosto muito do meu país, onde posso estar perto de minha família e dos meus amigos", comentou. "E já tive a oportunidade de explorar a Europa antes", lembrou ela, que no começo de sua carreira morou na Inglaterra, onde correu na Fórmula Ford e na Fórmula Vauxhall.

Embora seja bastante respeitada na Indy, Danica não possui resultados impressionantes na categoria. Ela tem uma vitória e três pole positions e seu melhor campeonato foi o do ano passado, quando terminou em sexto lugar. Atualmente, é a quinta colocada na temporada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.