Valdrin Xhemaj/EFE
Valdrin Xhemaj/EFE

Ex-parceiro de Senna, Berger diz que Vettel não sabe trabalhar sob pressão

Para o ex-piloto austríaco, tetracampeão alemão não tem mais o mesmo ímpeto que marcou o seu início de carreira na Fórmula 1

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de abril de 2021 | 14h24

O desempenho ruim do tetracampeão Sebastian Vettel no GP do Bahrein não foi surpresa para o ex-piloto austríaco Gerhard Berger, companheiro de equipe do brasileiro Ayrton Senna nos tempos de McLaren. Para ele, o 15º lugar na prova foi apenas a constatação de que o alemão tem seu rendimento comprometido quando precisa trabalhar sob pressão.

“O Vettel é tetracampeão do mundo e, sem dúvidas, um piloto de destaque. Mas ele nunca reagiu bem sob pressão. Quando o Daniel (Ricciardo) veio para a Red Bull, Sebastian teve dificuldade de lidar com isso. Na Ferrari, era a mesma coisa”, afirmou Berger durante participação no podcast Fast Lane. O GP do Bahrein marcou a estreia do piloto alemão pela Aston Martin. Entre os carros que terminaram a corrida, ele só ficou à frente de Mick Schumacher.

Berger disse também que Vetttel não vem apresentando nos últimos tempos o mesmo ímpeto que marcou o seu início de carreira na Fórmula 1. “Quando você fez tantas corridas, já é tetracampeão mundial, talvez você não esteja na situação que deseja para assumir todos os riscos. De alguma forma, não funciona bem para ele. Começa a cometer erros e vem os questionamentos. A pressão vai se acumulando e ele não funciona sob pressão”, afirmou.

A falta de resultados expressivos dos seus últimos anos de Ferrari podem ser um complicador a mais para Vettel conseguir se firmar na Aston Martin, acrescentou o ex-piloto austríaco.

“Ele não está relaxado o suficiente e está tentando provar coisas que, agora, não são possíveis porque o carro não é bom o suficiente ou o seu desempenho está abaixo do esperado. Quando acontece isso, você tem que parar e dar um passo atrás. Tem que ir com o calma e pensar que o sucesso virá de novo”, comentou.

Por fim, Berger disse que o fato de o companheiro de equipe de Vettel ser filho do dono da escuderia não deva influenciar no desempenho da equipe. “Depende da performance do Vettel. “Se ele (Vettel) for mais lento, pode ser que as coisas mudem, mas essa situação acontece em todos os lugares.”

No GP do Bahrein, enquanto Vettel terminou em 15º lugar, seu companheiro de equipe Lance Stroll finalizou a corrida em décimo lugar, somando um ponto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.