F-1: brasileiro pode correr na Phoenix

A notícia começou a circular, nesta terça-feira, como um rumor, mas no fim da tarde já tinha carácter quase de oficialidade: a Phoenix - nome da extinta Prost - já tem dois carros prontos, na Malásia, para entrar na pista no primeiro treino livre da corrida. "Confirmo que a Phoenix embarcou dois carros para sua estréia na F-1?, afirmou Virgine Papin, ex-assessora de imprensa da Prost. E segundo se comenta, o brasileiro Tarso Marques seria, ao lado do argentino Gaston Mazzacane, os pilotos da Phoenix. Paulo de Tarso, pai de Tarso Marques, disse nesta terça-feira, em Curitiba, que seu filho já vai estar no autódromo de Sepang na quarta-feira para assinar contrato. São muitas as dúvidas que cercam a Phoenix? Primeira: ela existe mesmo? Ao que parece, não. "Tudo o que eles compraram foram dois carros velhos da Prost e meia duzia de ferramentas", disse Bernie Ecclestone, promotor do espetáculo. "Enganam-se se eles acham que colocarão seus carros no grid da F-1", falou o dirigente inglês, semana passada. Segundo Paulo de Tarso, que acompanhou as negociações de seu filho com a equipe, a Phoenix terá o mesmo motor Ford, de 1998, usado pela Minardi até ano passado. O monoposto da Prost era equipado com motor Ferrari. Essa adaptação ao motor Ford, se proceder a informação, exigiria um sistema de transmissão novo também. Mais: os carros teriam de passar no crash test, testes de resistência do monocoque. Nesta terça-feira, no fim da tarde, não havia nenhum equipamento da Phoenix, cujo proprietário é o inglês Charles Nickerson, no autódromo de Sepang. E a assessoria da Bridgestone informou que não haveria como fornecer seus pneus para a nova escuderia no GP da Malásia. Em São Paulo, o assessor de imprensa do GP do Brasil, Márcio Fonseca, dia 31, contou que a organização do evento não recebeu nenhuma informação sobre a inscrição da 12ª equipe. Nos próximos dias a atenção de muita gente estará sobre a disputa política entre os novos donos da Prost e os dirigentes da FIA, Bernie Ecclestone e Max Mosley. Terça-feira, em Paris, um dos temas na reunião da Comissão de F-1 será discutirir os termos para a aceitação da Phoenix no Mundial.

Agencia Estado,

12 Março 2002 | 15h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.