Vincent Thian/AP
Vincent Thian/AP

F-1: Button ganha corrida encerrada pela chuva na Malásia

Inglês da Brawn ganha metade dos pontos e lidera o Mundial; Barrichello é quinto, Massa 9.º e Nelsinho 13.º

Milton Pazzi Jr., estadao.com.br

05 de abril de 2009 | 07h57

KUALA LUMPUR - Jenson Button conseguiu neste domingo sua segunda vitória na temporada 2009 da Fórmula 1. Ele foi beneficiado com a interrupção do GP da Malásia na volta 32 devido à chuva forte que caiu no circuito de Sepang, numa corrida bastante agitada. Como foram disputados menos de 2/3 da corrida, valem metade dos pontos na classificação do Mundial, ou seja, o inglês da Brawn GP lidera com 15.

Veja também:

linkMassa critica Ferrari e 'campeonato decidido'

linkBarrichello quer é marcar pontos

linkButton: foi uma 'corrida de loucos'

linkGlock: uma de suas melhores corridas

link Heidfeld: 'Corrida foi extremamente dura'

som PODCAST: Livio Oricchio analisa o GP

tabela F-1: classificação do Mundial

especialConfira o calendário da temporada

especialESPECIAL: jogue o Desafio dos Pilotos

Nick Heidfeld (BMW) é quem fica com o segundo lugar e o terceiro é Timo Glock, da Toyota. Rubens Barrichello, da Brawn, é o quinto colocado, com os outros dois brasileiros fora da zona de pontuação: Felipe Massa (Ferrari) é o nono colocado e Nelsinho Piquet (Renault) o 13.º.

A largada teve muitas mudanças de posições. Barrichello e Rosberg foram os mais espertos e ganharam três posições e subiram para quarto e primeiro lugar, respectivamente. Não tiveram sucesso Robert Kubica (BMW), que não conseguiu nem largar - alegando que "ouvia barulhos estranhos no motor" na volta de apresentação -, e Heikki Kovalainen (McLaren), que mais uma vez não completou a primeira volta.

ULTRAPASSAGENS

 
Em 20 voltas a corrida teve excelentes momentos de ultrapassagem. O espanhol Fernando Alonso protagonizou vários deles, sempre tentando manter a posição, com a ajuda do kers (potência adicional), mas pagando pela irregularidade de seu Renault. Quase saiu de pista com Kimi Raikkonen e depois, na reta com Mark Webber, só perdeu a então sexta posição por não conseguir frear a tempo, depois de tentar driblar o australiano.

As posições de pista mudaram bastante quando começou a chuva, na volta 18. E aí teve quem fez certo, mas muito cedo - caso de Raikkonen, que colocou pneu de chuva quando estava seco e os destruiu - ou errado, como a Brawn, que usou pneus lisos com Button e Barrichello. Duas voltas depois trocaram para pneu de chuva. As estratégias foram mudando ainda na sequência, com a dupla da Brawn novamente na ponta na volta 28.

INTERRUPÇÃO

Na volta 31, com chuva intensa e após muitas trocas de pneus por parte de todos os pilotos - o líder Button já tinha quatro -, foi preciso a entrada do safety car. A iluminação natural da pista caiu muito e a organização da prova teve de interromper a corrida, com bandeira vermelha. Neste momento, Jenson Button liderava, com Timo Glock em segundo e Nick Heidfeld em terceiro lugar. Barrichello era o quinto, Massa o nono e Nelsinho Piquet o 13.º.

Mas, algumas posições mudaram na classificação final, porque o que valia era a volta anterior à bandeira vermelha. A confirmação do encerramento da corrida só foi anunciado cerca de uma hora após a interrupção. "Nono ou último é a mesma coisa. Para mim era melhor continuar a corrida. Mas tinha de paralisar a corrida", disse Felipe Massa, com bom humor, enquanto esperava pelo possível reinício da corrida, em entrevista à TV Globo.

CLASSIFICAÇÃO

Na classificação do Mundial de Pilotos, Barrichello é o vice-líder com 10 pontos, com Trulli em terceiro, com 8,5 e Timo Glock em quarto com 8. No Mundial de Construtores, a Brawn tem 25 pontos, com a Toyota em segundo (16,5) e a BMW em quarto com apenas 4 pontos. Desde 1991 a F-1 não tinha uma classificação com pontos fracionados. No GP da Austrália daquele ano a corrida foi interrompida com 14 voltas devido também à chuva, e Ayrton Senna foi o vencedor. 

A próxima etapa é o GP da China, em Xangai, daqui duas semanas (19 de abril), com largada prevista para as 4 horas (de Brasília), para 56 voltas. 

 FÓRMULA 1 2009 - GP DA MALÁSIA

 CLASSIFICAÇÃO FINAL - 31 voltas (de 56 previstas) 

1.º - Jenson Button (ING/Brawn GP), 55min30s662;

2.º - Nick Heidfeld (ALE/BMW-Sauber), a 22s722; 

3.º - Timo Glock (ALE/Toyota), a 23s513; 

4.º - Jarno Trulli (ITA/Toyota), a 46s173; 

5.º - Rubens Barrichello (BRA/Brawn GP), a 47s360; 

6.º - Mark Webber (AUS/Red Bull), a 52s333; 

7.º - Lewis Hamilton (ING/McLaren), a 60s733; 

8.º - Nico Rosberg (ALE/Williams), a 1min10s576; 

9.º - Felipe Massa (BRA/Ferrari), a 1min16s932; 

10.º - Sebastien Bourdais (FRA/Toro Rosso), a 1min42s164; 

11.º - Fernando Alonso (ESP/Renault), a 1min49s442; 

12.º - Kazuki Nakajima (JAP/Williams), a 1min56s130; 

13.º - Nelsinho Piquet (BRA/Renault), a 1min56s713; 

14.º - Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari), a 2 min22s841; 

15.º - Sebastian Vettel (ALE/Red Bull), a 1 volta 

16.º - Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso), a 1 volta; 

17.º - Adrian Sutil (ALE/Force India), a 1 volta; 

18.º - Giancarlo Fisichella (ITA/Force India), a 2 voltas.

Não terminaram a corrida:

Heikki Kovalainen (FIN/McLaren), abandono, volta 1

Robert Kubica (POL/BMW Sauber), abandono, volta 2

Volta mais rápida: Jenson Button (ING/Brawn GP), 1min36s641, na volta 18

Atualizado às 10h19 para acréscimo de informação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.