Oliver Multhaup/AP
Oliver Multhaup/AP

F-1: Button vence e Barrichello é 2.º no GP da Austrália

Dupla garante feito da novata Brawn no pódio; Felipe Massa e Nelsinho Piquet não terminaram a prova

Milton Pazzi Jr., estadao.com.br

29 de março de 2009 | 04h42

 SÃO PAULO - O inglês Jenson Button, de ponta a ponta, venceu o GP da Austrália de Fórmula 1 na madrugada deste domingo, em Melbourne. Ele não teve trabalho e levou a estreante Brawn GP para sua primeira vitória na primeira corrida da temporada 2009, sua segunda vitória na carreira. O brasileiro Rubens Barrichello foi o segundo e garantiu a dobradinha, com ajuda no final.

Já o terceiro lugar teve mudança de dono: Jarno Trulli, da Toyota, foi punido com o acréscimo de 25 segundos por uma ultrapassagem irregular (enquanto o safety car ainda estava na pista) e ele, assim, caiu para o 12.º lugar. Com isso, o campeão mundial Lewis Hamilton, da McLaren, que fez uma corrida regular, herda a terceira posição e o lugar simbólico no pódio.

 Veja também:

linkVencedor Button avisa: não foi fácil

linkBarrichello não esperava recuperação

linkMassa lamenta problemas da Ferrari

linkProblema no freio prejudica Nelsinho

linkTrulli perde 3.º lugar para Hamilton

som PODCAST: Livio Oricchio analisa o GP

link'ESTADO': Equipes querem definir orçamento 

especialESPECIAL: Conheça os pilotos e equipes da F-1

especialConfira o calendário da temporada

especialESPECIAL: jogue o Desafio dos Pilotos

 

 NÚMERO

 18 pontos

 Já soma a Brawn GP com a dobradinha na Austrália, no Mundial de Construtores
Com esta vitória, a Brawn iguala o feito histórico da extinta equipe Wolf, em 1977, que também venceu sua corrida de estreia com o sul-africano Jody Scheckter. Porém, esta é a primeira vez que uma estreante consegue uma dobradinha no pódio (1.º e 2.º lugares). Ao confirmar a ótima fase, a equipe inglesa, que assinou seu primeiro contrato de patrocínio na sexta (US$ 15 milhões com o Grupo Virgin), larga na frente com 18 pontos, na classificação do Mundial de Construtores.

LARGADA

A esperança de vitória brasileira com Barrichello acabou logo na largada. Se Button saiu bem e abriu vantagem, Barrichello foi mal e acabou sendo ultrapassado, caindo para sétimo. Na curva 1, envolveu-se em toques com os carros de Heikki Kovalainen (McLaren) e Mark Webber (Red Bull), e mesmo com o bico da asa entortado no canto continuou na pista.

O recordista de provas da Fórmula 1 só trocou o bico no primeiro reabastecimento, após 20 voltas e, com regularidade, conseguiu chegar em segundo lugar com um acidente entre Sebastian Vettel e Robert Kubica, no final da prova.

Felipe Massa, por outro lado, teve um dia ruim num circuito onde não costuma ter bom resultado. Esteve perto de brigar pelo pódio na parte final da corrida, mas teve de abandonar - recolheu sua Ferrari aos boxes na volta 47, com dificuldade para chegar. A equipe italiana também teve problemas com Kimi Raikkonen, que chegou na 16.ª posição, a última entre os que terminaram a prova.

 FRASE
 Nelsinho Piquet

 Piloto da Renault

 "Os freios ficaram loucos"

O primeiro GP de 2009 terminou mal para Nelsinho Piquet. Na volta 24, na reta, na relargada após entrada do safety car devido a batida isolada de Kazuki Nakajima (Williams), ele perdeu o controle da Renault na disputa de posição com Nico Rosberg (Williams), quando estava em sétimo e disputando posição com o alemão. "Os freios ficaram loucos", explicou aos engenheiros, no rádio.

DECISÃO

A corrida na Austrália terminou com safety car, após acidente entre Sebastian Vettel (Red Bull) e Robert Kubica (BMW) a três voltas do fim da prova, quando os dois disputaram roda a roda a segunda posição. Bateram no muro e Vettel, mesmo com a suspensão dianteira direita destruída, continuou na pista, completando quase uma volta assim. Mas abandonou.

A próxima prova é no domingo que vem (5 de abril) no circuito de Kuala Lumpur, o GP da Malásia, com largada prevista para as 6 horas (de Brasília).

 FÓRMULA 1 2009 - GP DA AUSTRÁLIA

 CLASSIFICAÇÃO FINAL - 58 voltas (307,574 km)

 1.º - Jenson Button (ING/Brawn GP), 1h34min15s784

 2.º - Rubens Barrichello (BRA/Brawn GP), a 0s807 

 3.º - Lewis Hamilton (ING/McLaren), a 2s914

 4.º - Timo Glock (ALE/Toyota), a 4s435

 5.º - Fernando Alonso (ESP/Renault), a 4s879

 6.º - Nico Rosberg (ALE/Williams), a 5s722

 7.º - Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso), 6s004

 8.º - Sebastien Bourdais (FRA/Toro Rosso), a 6s298

 9.º - Adrian Sutil (ALE/Force India), a 6s335

 10.º - Nick Heidfeld (ALE/BMW Sauber), a 7s085

 11.º - Giancarlo Fisichella (ITA/Force India), a 7s374

 12.º - Jarno Trulli (ITA/Toyota), a 26s604

 13.º - Mark Webber (AUS/Red Bull), a 1 volta

 14.º - Sebastian Vettel (ALE/Red Bull), a 2 voltas

 15.º - Robert Kubica (POL/BMW Sauber), a 3 voltas

 16.º - Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari), a 3 voltas

 Não terminaram a prova:

 Felipe Massa (BRA/Ferrari), volta 45, abandono

 Nelsinho Piquet (BRA/Renault), volta 24, quebra

 Kazuki Nakajima (JAP/Williams), volta 17, acidente

 Heikki Kovalainen (FIN/McLaren), volta 1, acidente 

 Volta mais rápida:

 Nico Rosberg (ALE/Williams), 1min27s706, na volta 48

Atualizado às 7h05 para acréscimo de informação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.