F-1: caras novas no GP da Hungria

Dois pilotos devem ser substituídos no GP da Hungria, próxima etapa do Mundial, dia 18 em Budapeste, na Hungria: o alemão Heinz-Harald Frentzen, que já anunciou sua saída da Arrows, e o malaio Alex Yoong, da Minardi, por baixa produção, já que ele não se classificou para correr quatro vezes nesta temporada, sendo duas nas três últimas etapas. Dentre os candidatos à vaga da Arrows, o holandês Jos Verstappen é quem reúne maiores possibilidades de ficar com ela, por mais paradoxal que possa parecer. O piloto ganhou na justiça inglesa, em primeira instância, o direito de ser ressarcido por Tom Walkinshaw, sócio da Arrows, pela rescisão de seu contrato, ano passado. O empresário de Verstappen, o ex-piloto Huub Rothengatter, confirmou hoje as negociações. A presença de Verstappen na equipe faria com que o valor da multa a ser paga por Walkinshaw fosse menor dos US$ 2,5 milhões estipulados pela justiça inglesa. Os outros dois candidatos, o francês Sebastien Bourdais e o tcheco Tomas Enge, líder e vice-líder do campeonato da Fórmula 3000, teriam de renunciar à disputa do título para correr na Fórmula 1, já que as duas categorias realizam suas corridas no mesmo fim de semana. Hoje Bourdais comentou que dificilmente ficará com o lugar de Frentzen, apesar do interesse de Walkinshaw. O fato de Felipe Massa constar no texto de previsão da Sauber para o GP da Hungria, distribuído hoje, reforça a tese de que sua substituição por Frentzen não passou de especulação da impresa inglesa. Massa conhecerá a capital húngara de forma bastante particular: a bordo do avião do campeão mundial de acrobacia, Peter Berenyi. Quanto à Minardi, há rumores envolvendo o inglês James Courtney para o lugar de Yoong, já que outro britânico, Justin Wilson, campeão da Fórmula 3000 ano passado, com seus 1,92 m de altura, não coube no carro. O regulamento da Fórmula 1 proíbe testes este mês e os pilotos desfrutam de suas miniférias das pistas.

Agencia Estado,

07 Agosto 2002 | 18h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.