F-1 faz simulação em Interlagos

A 11 dias do GP Brasil de Fórmula-1, o autódromo de Interlagos passa pelos últimos ajustes. Nesta terça-feira aconteceu a simulação oficial com equipe médica, resgate, pista e boxes. Onze pilotos participaram da ?prova?, com o percurso de 12 voltas em baixa velocidade.?Os treinos acontecem desde setembro aos sábados. Os médicos e toda a equipe de pista já estão acostumados com os procedimentos, porque é um trabalho que a gente faz o ano todo nas outras competições nacionais. Mantemos a estrutura e aprimoramos o atendimento?, explicou Carlos Montagner, diretor de prova há nove anos e 30 anos de GP no currículo. Os bombeiros vão treinar no próximo sábado. Montagner coordena um grupo de nada menos 571 pessoas. Para este ano, houve redução de 33 pessoas.A grande novidade para o Centro Médico é a ampliação do heliponto do Autódromo que possui dois pontos de pouso e decolagem, facilitando a remoção das eventuais vítimas para as unidades do Hospital São Luiz no Morumbi e Itaim. O serviço de atendimento médico na pista incluirá quatro veículos de resgate, 11 ambulâncias, além de transporte aéreo.Na simulação, o carro usado para o resgate foi o número 2, do piloto George Altmann que ?bateu? no muro da reta dos boxes. O resgate demorou 52 segundos para chegar. Mais 1min40s para a ambulância prestar os primeiros socorros ao garoto e removê-lo na maca para o carro em três minutos. No trajeto para a unidade do Hospital no Morumbi, mais trës minutos de helicóptero. ?Foi tudo dentro do tempo estipulado?, disse o diretor médico do GP, Dino Altmann, do Hospital São Luiz, que pelo quarto ano coordena todo o serviço de atendimento médico do GP. E Montagner acrescentou: ?como a pista estava livre foi um pouco mais rápido do habitual.? Eles só não contavam com o real acidente do carro de Juan Felippe, número 7. O diretor diz que a pista está quase pronta. Faltam apenas a limpeza da pista e terminar de pintar alguns pneus. ?Acredito que até domingo esteja tudo pronto?, acredita. A última vistoria deverá ser feita entre quarta e quinta-feira da próxima semana por Charlie Whitining, diretor da Federação Internacional de Automobilismo, que chega ao Brasil na segunda-feira.BÜNDCHEN - A top model Gisele Bündchen ainda não confirmou se vai dar a bandeirada no GP Brasil, por causa de uma sessão de fotos em Nova York na véspera da prova. Montagner, está torcendo. ?Eu gostaria muito que ela viesse.? Em 2002, Pelé foi o escolhido, mas deu vexame ao dar a bandeirada depois de o vencedor ter passado.

Agencia Estado,

12 de outubro de 2004 | 18h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.