F-1 já vive expectativa do título

A semana começa para a Fórmula 1 com a perspectiva de definição do Campeonato Mundial de Pilotos e de Construtores, domingo, na 13ª etapa da temporada, na Hungria. Depois de duas semanas de folga no calendário, Michael Schumacher embarca quarta-feira para Budapeste com um mão no título, o quarto da sua brilhante carreira. Até mesmo o 4º lugar na corrida lhe garante a conquista, desde que David Coulthard, da McLaren, não marque pontos. A Ferrari também pode ser campeã entre as equipes já no domingo.É bem possível que Bernie Ecclestone, o grande promotor da Fórmula 1, assim como os responsáveis por três das quatro provas seguintes à da Hungria - Bélgica, Estados Unidos e Japão - estejam bem preocupados diante da enorme possibilidade de a competição conhecer agora os seus vencedores. O caso da etapa de Monza é diferente. Se Michael Schumacher e a Ferrari chegarem lá sem serem ainda campeões, a torcida irá para tentar comemorar "em casa" os títulos, como ocorreu em 1979. E se o seu piloto e a sua equipe se apresentarem para o GP da Itália já tendo definido os campeonatos, melhor ainda, já existe até argumento para a festa.Tudo o que Michael Schumacher precisa para garantir a conquista no circuito Hungaroring é classificar-se dentre os quatro primeiros. Se vencer, independentemente do que Coulthard conseguir, ele será campeão. Se for 2º, o piloto da McLaren não pode ganhar ou terminar em 3º. No caso de o alemão receber a bandeirada em 3º, Coulthard não pode vencer, classificar-se em 2º, 4º e 5º. Até mesmo a 4ª colocação dá o título ao piloto da Ferrari, desde que Coulthard não termine entre os seis primeiros.Michael Schumacher pode ser campeão domingo igualando um recorde histórico: o de maior número de vitórias na Fórmula 1. Ele está apenas uma atrás de Alain Prost, que ganhou 51 GPs em dentre os 1999 que disputou. A prova será a de número 157 na carreira do alemão. Apesar de, nessa hipótese, o Mundial se definir em Budapeste, como em 1992, com Nigel Mansell, há uma diferença básica entre as duas conquistas: naquele ano a prova era a 11.ª da temporada e agora, a 13ª. A marca de Mansell, na época na Williams, representou o recorde de precocidade para a vitória no campeonato, com apenas 68,7% das etapas realizadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.