F-1 lamenta a perda de Alboreto

A esposa de Michele Alboreto, Nadia, pediu que a cerimônia do funeral fosse a mais simples possível e será atendida. Amanhã, às 16 horas, será enterrado na pequena cidade de Basiglio, onde nasceu, ao lado de Milão, o "último piloto gentleman da Fórmula 1", com o definiu ontem Alain Prost, no Circuito da Catalunha. Pilotos, mecânicos e dirigentes chegaram hoje ao autódromo ainda chocados com a notícia da morte de Alboreto."No total, éramos em quase dez pessoas e ele não esqueceu de ninguém", lembrou Gabriele Pagliarini, seu mecânico-chefe na Ferrari, hoje na Prost Grand Prix. "Michele foi vice-campeão do mundo, em 1985, e como presente todos nós, seus técnicos, ganhamos dele duas passagens cada um para alguns dias de férias nas ilhas Maldivas." Em razão de seus compromissos hoje com a Prost, Pagliarini não irá ao funeral do ex-piloto da Ferrari, mas três outros mecânicos daquela turma, ainda hoje na escuderia italiana, estarão no enterro.O francês Alain Prost era um dos mais sentidos com a perda de Alboreto. "Ele foi o meu primeiro grande adversário na disputa do Campeonato Europeu de Fórmula 3 (1979) e depois no título mundial de Fórmula 1, em 1985." O sócio da Prost falou com emoção do amigo. ?Apesar de competirmos pelo mesmo objetivo, Michele sempre foi muito correto, dentro e fora das pistas. Infelizmente homens como ele não existem mais na Fórmula 1." As hipóteses para explicar o acidente que o matou, no novo circuito de Lausitzring, Alemanha, onde em setembro será realizada uma etapa da Fórmula Indy, já começaram a surgir. "Vi numa foto que o pneu traseiro esquerdo estava dechapado", comentou Ivan Capelli, ex-piloto da Ferrari, atualmente comentarista da RAI, rede de TV da Itália. "Como a traseira abaixou, a frente se elevou e o ar entrou em baixo do carro, fazendo-o decolar." Outro piloto da equipe Audi, a de Alboreto, Emanuelle Pirro, confirmou a informação de que seu time fazia naquele instante testes de velocidade máxima visando a longa reta da pista de Le Mans.O local do acidente, fora da área da pista, já que o Audi "pousou" depois das grades de proteção, lembravam as de um choque de uma aeronave contra o solo. O modelo de esporte-protótipos se desintegrou e Alboreto, com fraturas múltiplas no crânio e coluna cervical faleceu na hora. "Esporte a motor é isso, quando pensamos que estamos seguros, alguém morre, nunca estamos livres dessas tragédias", disse Niki Lauda, da Jaguar, em Barcelona. "Competimos juntos e não conheço uma única pessoa que tenha algo de mau a dizer de Alboreto." Michael Schumacher e o irmão souberam do ocorrido hoje. "É chocante", afirmou o piloto da Ferrari, procurando conhecer mais detalhes do acidente. O cozinheiro da Prost, Luigi Montanini, na época de Alboreto profissional da Ferrari, lembrava que o italiano era um homem de hábitos simples: "Costumávamos jogar scopa (jogo de cartas) às sextas-feiras à noite e um belo prato de massa era o suficiente para satisfazê-lo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.