F-1: Mosley prevê aprovação do lastro

O presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), o inglês Max Mosley, deu uma pista nesta terça-feira do que pode ocorrer no importante encontro da Comissão de Fórmula 1. "O uso do lastro nos carros não irá mudar a definição do campeonato de 2003, apenas a adiará. Acredito que será aprovada." Mosley disse mais. "Espero que todos que vão estar lá (são 24 votos) levem sugestões para serem discutidas e não apenas a FIA." Rumores na Europa indicam que o que parecia ser uma idéia absurda, o uso de um quilo a mais no carro a cada ponto conquistado, pode ser aprovada. A volta das sessões de classificação também às sextas-feiras é dada como certa. Já a troca de pilotos, até Mosley admitiu. "Seria a forma mais justa de conhecermos os melhores piloto e time, mas lamentavelmente não sucederá." O prefeito de Moscou, Yuri Luzhkov, segundoentrevista publicada nesta terça-feira pelo diário Kommersant, afirmou que o culpado pela Rússia não entrar, ao menos agora, no calendário da Fórmula 1 é Bernie Ecclestone, o promotor do Mundial. "Ele queria ficar com tudo, a receita da venda dos ingressos, os direitos de TV, publicidade, para nós restaria apenas a fumaça dos motores." Os russos estavam para iniciar as obras de umautódromo na ilha Nagatino, no rio Moscou, quando na reunião que seria de assinatura do contrato para oficializar a entrada do país no campeonato não houve acordo. Felipe Massa agradeceu os elogios de Rubens Barrichello ao seu estilo de pilotar. "Ele me ajudou muito este ano e é um grande piloto", falou Massa, que segunda-feira à noite começa a treinar com o amigo para as 500 Milhas da Granja Viana, emCotia. Eles vão correr pela mesma equipe. A prova será realizada entre os dias 9 e 10.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.