F-1 não crê na vitória de Schumacher

Pilotos e dirigentes têm uma opinião quase unânime: Michael Schumacher, da Ferrari, não definirá o campeonato no GP da França, que começa a ser disputado nesta sexta-feira, com a realização dos primeiros treinos livres. Surpreendentemente, afirmam também que não haverá nenhuma conseqüência prática para a Fórmula 1 o fato de o Mundial conhecer seu campeão tão antes do final da temporada. "Na Alemanha é melhor para o Schumacher, não?" disse rindo Niki Lauda, diretor da Jaguar, sugerindo a intenção do alemão de prorrogar a definição do título.O primeiro a abordar o tema, nesta quinta-feira no início da tarde bem quente no circuito Nevers-Magny-Cours, não poderia ser outro se não o maior interessado, o próprio Schumacher. "Para ser honesto, não estou realmente focado no que irá ocorrer aqui porque não espero que nada aconteça", falou. "Vou correr como se fosse uma prova normal e, claro, procurarei vencê-la. Esse é o meu real objetivo."Schumacher tentou diminuir o impacto de suas palavras, semana passada, quando comentou que preferiria ser campeão diante de sua torcida, na Alemanha, próxima etapa do Mundial, dia 28. "Não me importa que aconteça aqui ou em outro lugar, o que interessa é o resultado final."Rubinho - Rubens Barrichello, companheiro de Schumacher, manteve seu discurso de que a corrida definirá se o campeonato irá acabar em Magny-Cours ou em Hockenheim, sem interferências. Já Jacques Villeneuve, campeão do mundo em 1997, aposta na extensão da definição do Mundial até a Alemanha, assim como Flavio Briatore, diretor da Renault. Mark Webber, australiano da Minardi, é mais explícito: "Schumacher quer vencer diante da sua torcida, será campeão em Hockenheim."Essa é também a opinião de Felipe Massa, da Sauber, e Enrique Bernoldi, Arrows, mas por outra razão: "Barrichello tem condições de ganhar a corrida ou classificar-se em segundo, o que adiaria a definição do título."Para Schumacher conquistar seu quinto Mundial ele deve necessariamente vencer a 11ª etapa da temporada e ainda torcer para Rubens Barrichello ou Juan Pablo Montoya, da Williams, não classificarem-se em segundo. Outro que não aposta que Schumacher fará a festa em Magny-Cours é o diretor da Jaguar, Gunter Steiner. "Michael levará o campeonato até a Alemanha."Jock Clear é o engenheiro de Jacques Villeneuve desde os tempos de Williams. "Barrichello vence aqui", diz. "Apesar de hoje ele não precisar da ajuda da Ferrari para ganhar, desta vez a equipe fará com que ele fique em primeiro." Segundo Clear, a Ferrari usará jogo de equipe para atender Schumacher, que apesar de ter declarado nesta quinta-feira que não faz diferença onde será campeão, no fundo seu sonho é comemorar diante de 200 mil alemães em Hockenheim.Rival - Como sempre acontece quando lhe perguntam sobre Schumacher, o colombiano Juan Pablo Montoya até se irrita. "Não me interessa se ele será campeão aqui ou em outro lugar. Posso dizer apenas que não é imbatível, conforme Barrichello vem demonstrando."Ralf de novo reiterou que, apesar de ser seu irmão, fará tudo para ganhar o GP da França e estragar a festa de Schumacher. "Está fazendo calor, a Michelin se dá bem nesse tempo, e nosso novo pacote aerodinâmico mostrou-se bem eficiente. Não será fácil para Michael." Depois confirmou: "Espero estender o máximo possível o meu cumprimento pelo título."Parece ser uma preocupação maior da imprensa que dos pilotos e dos dirigentes de Fórmula 1 a definição tão antecipada do campeonato, se ocorrer na França. Restarão ainda mais seis etapas até o encerramento do Mundial. Briatore sempre foi profissional de marketing: "Pode haver uma queda no número de telespectadores, mas sem nenhuma conseqüência prática para a Fórmula 1", afirma. "Se as corridas são boas, bem disputadas, o que não é o caso agora, com um piloto e uma equipe dominando tudo, o público as assiste, conhecendo-se ou não o campeão."Lauda lembra que em outras épocas times como a McLaren e a Williams exerceram hegemonia semelhante. "Você não pode chegar para uma equipe e ordenar que não vença, ao menos agora, porque será ruim para os interesses da Fórmula 1." Como Briatore, Lauda acredita que não acontecerá nada a esse esporte se Schumacher for campeão domingo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.