F-1: obras suspensas e GP ameaçado

Uma liminar concedida pela 4ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça suspendeu as obras no autódromo de Interlagos, em São Paulo, e coloca em risco a realização do Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1, marcado para o dia primeiro de abril. De acordo com o advogado Orlando Maluf Haddad - que ingressou com a ação - a empresa Vértice Engenharia se considerou prejudicada com a mudança nas regras da concorrência feita pela Secretaria Municipal de Esportes.?De acordo com os critérios técnicos fixados pelo edital, foram classificadas somente duas empresas. A secretária de Esportes, Nádia Campeão, no entanto, resolveu incluir uma terceira empresa que, por sinal, foi a vencedora da licitação sem ter passado pelas especificações técnicas?, argumenta o advogado. A secretária diz que o departamento jurídico da Prefeitura vai tomar providencias assim que for notificado da decisão judicial. Ontem, a prefeita Marta Suplicy esteve vistoriando as obras de reforma do autódromo e disse ter gostado do que viu. A expectativa da prefeita é a de que todas as obras de manutenção e montagem das estruturas do autódromo estejam prontas até o dia 20, quando o local receberá a inspeção do delegado de segurança da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Charlie Whiting. A segurança tem sido a prioridade nas obras de reforma da Interlagos. Cerca de 200 metros da pista próxima à linha de largada foram refeitos, atendendo à uma reclamação dos pilotos no ano passado. O sistema de drenagem foi melhorado e as gaiolas para os comissários de pista serão reforçadas. Segundo a prefeita, o custo das obras caiu de R$ 26 milhões para R$ 20 milhões, "em razão do corte de gastos desnecessários".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.