F-1: Rubinho é papai pela segunda vez

Rubens Barrichello irá disputar o GP Brasil, próxima e possivelmente decisiva etapa do Mundial de Fórmula 1 - nos dias 23, 24 e 25 -, em Interlagos, menos ansioso: nasceu, nesta segunda, seu segundo filho, Fernando, nome proposto pelo seu irmão, Eduardo, perto de completar 4 anos e já interessado em brincar com karts, uma grande paixão de Rubinho e melhor escola de automobilismo. Silvana, esposa de Rubinho, deu à luz na noite de segunda no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Como tudo o que se refere à família, o piloto da Ferrari solicitou que nenhuma informação fosse repassada à imprensa. O hospital limitou-se a comunicar que Silvana e Fernando passam bem. No domingo à noite, logo depois de disputar o GP da Bélgica, em Spa-Francorchamps, Rubinho voou com seu avião particular para o Brasil, a fim de acompanhar o nascimento do filho. Na edição do GP Brasil do ano passado, Silvana confirmou estar grávida de 2 meses, mas perdeu o bebê dias depois. O momento profissional do piloto, agora, será distinto do dos últimos anos. Desde que passou a competir com a Ferrari, em 2000, Rubinho sempre se apresentou para a prova de Interlagos como um dos mais sérios candidatos a vencer. Diante das dificuldades técnicas da Ferrari e da Bridgestone, neste ano, reconheceu na Bélgica que ?o jeito será alimentar-se de todo o carinho da torcida?, já que na pista as coisas ?não serão nada fáceis?. Será o seu último GP Brasil pela Ferrari. A partir de 2006, Rubinho competirá pela BAR-Honda. Bernie Ecclestone, promotor do Mundial, aconselhou Frank Williams a desistir de ficar com Jenson Button, com quem já assinou contrato. Button deseja permanecer na BAR. A British American Tobacco (BAT) e a Honda, sócias da BAR, negociam com Frank Williams a liberação do jovem piloto inglês. São cada vez maiores as chances de Button ser o companheiro de equipe de Rubinho em 2006, formando uma das duplas mais fortes do campeonato. A BAR-Honda pode assumir, na próxima temporada, o papel da Renault este ano, de time que deu um grande salto de performance. Com Rubinho e Button, velozes e constantes, no mínimo estaria muito bem servida de pilotos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.