Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

F-1 vive dias agitados nos bastidores

O saldo do fim de semana na Hungria para quem deseja um pouco mais de emoção na Fórmula 1 em 2006 é positivo: haverá mudanças importantes de pilotos em várias equipes. Algumas já estão definidas, como a transferência de Rubens Barrichello da Ferrari para a BAR. Outras, a exemplo da contratação de Felipe Massa pela Ferrari, geram ainda dúvida: está mesmo acertado como garante Bernie Ecclestone? Ao que tudo indica, sim, mas nenhuma fonte confirmou 100%. Nas próximas duas semanas, boa parte dos integrantes de 9 das 10 escuderias da Fórmula 1 estará de férias. A exceção é a Ferrari, que continuará treinando. O time italiano se sente prejudicado por ser o único que usa pneus Bridgestone e faz testes. Por isso, enquanto as demais equipes cumprem o acordo de cavalheiros de não treinar, a Ferrari segue seu programa de desenvolvimento de pneus e do próprio modelo F2005. Mas nos escritórios da própria Ferrari, BAR, Williams e Sauber as conversas com pilotos e seus empresários serão intensas. "Em menos de 15 dias poderei anunciar meu futuro. Com o Rubinho indo mesmo para a BAR minhas chances de correr pela Ferrari são grandes, mas até agora não assinei nada ainda", disse, neste domingo, Felipe Massa. "Se você me perguntar se eu acho que vou ser o companheiro de Michael Schumacher responderia que sim, mas aprendi que tudo pode acontecer aqui". Se não for a Ferrari, quem seria então? "Converso com a BMW (como se chamará a Sauber). Uma coisa garanto, estarei na Fórmula 1". Nelson Piquet, que antecipou a contratação de Rubinho pela BAR, deu como certa a transferência de Massa para a Ferrari. "Está tudo ok também", afirmou o ex-campeão do mundo de 1981, 1983 e 1987. Confirmada, como deverá ser o caso, o Brasil terá dois pilotos em equipes capazes de vencer corridas, o que não acontecia desde o início dos anos 90, com Ayrton Senna na McLaren e Nelson Piquet na Benetton, e fim da década de 80, Senna na McLaren e Piquet na Williams. "Se eu tiver o Michael Schumacher como companheiro, não vou me preocupar com o que podem pensar de mim. Tenho 24 anos, estou começando minha carreira, o que posso dizer é que seria minha grande oportunidade profissional", comentou Massa. Se sua situação se definir nos próximos dias, se é que já não está, as atenções se voltam para a vaga de companheiro de Rubinho na BAR. Gil de Ferran, diretor-esportivo da escuderia, não deixou dúvidas sobre o futuro de Takuma Sato. "Precisamos de dois pilotos fortes, capazes de serem velozes e constantes, de nos levarmos às vitórias, como têm a Ferrari, McLaren e Renault". Sato atende apenas o pré-requisito de velocidade. A permanência de Jenson Button é dada como muito difícil, conforme Frank Williams, com quem o inglês tem contrato, já adiantou. Na BMW, Nick Heidfeld, hoje na Williams, já acertou, embora não oficialmente. O outro carro, como o da BAR, está em sem piloto ainda. Esses times têm bons motivos para os definirem logo. O regulamento de 2006, com motor V-8 de 2,4 litros, já demonstrou aos engenheiros que a necessidade de treinos será grande. E nada melhor do que com os pilotos titulares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.