F-3: Átila Abreu é aposta da Mercedes

Sem carteira de motorista, o paulista Átila Abreu, 17 anos, 1,86m, é a nova aposta da Mercedes no automobilismo internacional. O piloto foi selecionado para o programa de desenvolvimento das Mercedes-Benz em 2005, com um contrato de cinco anos, e correrá na F-3 européia com Dallara/Mercedes da equipe Mücke Motorsport. "Pode ser a grande chance da minha carreira", diz Átila, que no ano passado foi vice campeão da Fórmula BMW alemã, com duas vitórias e 15 pódios em 20 corridas.A Mercedes contratou os dois melhores pilotos da F-BMW. O companheiro de equipe de Átila será o alemão Sebastian Vettel, que conquistou o título de 2005. A Mercedes testou 16 pilotos no final do ano passado e selecionou os três melhores para seu programa de desenvolvimento. "Depois da temporada da F-3 européia, a Mercedes poderá me mudar de categoria. Para a DTM, por exemplo, ou, quem sabe, para a GP2", explica Átila.A Fórmula 3 européia, lançada há três anos depois da união das equipes francesas e alemãs, terá em 2005 a sua melhor temporada. As equipe terão uma variedade de pacotes técnicos à disposição e a disputa promete ser dura.As equipes poderão escolher Mercedes, Honda, Opel, Toyota e Renault entre os motores; Dallara, Lola, Mygale e Ligier entre os chassis; Penkel e Hewland entre as caixas de transmissão. Só os pneus serão os mesmos para toda a categoria: a marca coreana Kumho.A temporada começará dia 17 de abril, em Hockenheim, na Alemanha, e terá 10 etapas, sempre em rodadas duplas. Oito corridas serão disputadas junto com o campeonato alemão de turismo, o DTM, uma rodada será realizada em Mônaco como preliminar da Fórmula 1 e a categoria também estará presente no Marlboro Challenge, espécie de mundial de F-3 disputado todos os anos em Zandvoort, na Holanda."Os monopostos da F-3 européia são rápidos e equilibrados. Serão 32 pilotos no grid. Vai ser uma briga do começo ao fim", prevê Atila.O piloto, na semana passada, participou de um teste de pneus para a Fórmula Renault brasileira, em Curitiba, e achou os carros estranhos se comparados com os F-3. "Eles não têm equilíbrio. É muito difícil conduzi-los", avaliou.A convite do diretor da equipe de F-3, Peter Mücke, Átila Abreu decidiu que vai morar em Berlim este ano, embora não fale nada de alemão. "Acho que será mais fácil ficar junto da equipe. Quero acompanhar todo o trabalho ao longo da semana e não só nas corridas", explica o piloto.Os quatro anos de contrato com a Mercedes-Benz não iludem o piloto brasileiro. "Sei que só cumprirei todo o contrato se conseguir um bom rendimento. E o primeiro ano será fundamental para isso." Se tudo der certo, Átila poderá sonhar com a Fórmula 1 no final dos quatro anos.

Agencia Estado,

06 de fevereiro de 2005 | 18h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.