F-3: confusão e Nelsinho eliminado

Estava tudo certo para mais um show de Nelsinho Piquet, da Piquet Sports, neste domingo no Autódromo de Brasília, na 18ª e última etapa do Campeonato Sul-americano de Fórmula 3. E o piloto até que fez a sua parte na maior parte das 19 voltas da corrida. Na última, quando disputava com Daniel Scandian, da Brasília Racing, o terceiro lugar, tocou na traseira do adversário, provocando sua saída de pista. Resultado: Nelsinho perdeu o brilhante terceiro lugar que havia conquistado, depois de largar em último. A direção de prova o excluiu da corrida. Thiago Medeiros, da Amir Nasr, venceu, com Angelo Serafim, da Avallone, em segundo, e Danilo Dirani, Cesario Fórmula 3, terceiro. O histórico do pai, Nelson Piquet, não autoriza que se acredite na versão de Nelsinho, para explicar a "necessidade" de largar dos boxes, em último. "O cabo do acelerador travou na volta de apresentação." O mais provável, e quase não havia quem não acreditasse, neste domingo no autódromo, é que seu objetivo fosse outro: dar um grande espetáculo. A TV Globo transmitiria a prova ao vivo. Mais: Nelsinho já era o campeão, desde a etapa do Rio de Janeiro, e a disputa seria a sua última no Brasil, já que em 2003 correrá na Fórmula 3 inglesa. Da largada à bandeirada, Nelsinho demonstrou que, apesar de dispor de equipamento muito bem desenvolvido, seu enorme talento não há como ser negado. "A ultrapassagem que ele fez, por fora, que maravilha", dizia eufórico o pai. Sobre a exclusão do filho, pelo ocorrido com Scandian, comentou: "Não muda em nada o que fizemos este ano. O Nelsinho foi campeão, nossa equipe também, e os números mostram que trabalhamos melhor que todos." Na última volta, na freada da curva Placar, Nelsinho tinha seu Dallara-Honda posicionado a centímetros da traseira do mesmo carro de Daniel Scandian. De repente, o piloto da Piquet Sports tocou na traseira do concorrente, mas manteve a aceleração em vez de tirar o pé do acelerador. "Os dois foram culpados, mas o Nelsinho teve responsabilidade maior no acidente", explicou o diretor de prova, Carlos Montagner. "O piloto foi excluído por manobra perigosa e não atitude antidesportiva", disse Montagner. A interpretação de Nelsinho foi outra: "Um incidente de corrida, só isso." Nelson lembrou que Scandian se envolveu em acidentes na última volta de várias etapas e que neste domingo não foi diferente. "Ele tirou o pé do acelerador antes da hora e o Nelsinho bateu na sua traseira, assim eu vi o que se passou." O pai não economizou elogios ao filho: "Ele tem uma vontade incrível de vencer, não tira o pé do acelerador, ultrapassou vários pilotos nesse traçado onde ganhar posições é muito difícil." Scandian não gostou nada de ter sido atingido por Nelsinho. Ao regressar aos boxes, com o capacete na mão, viu o responsável pelo marketing do piloto, Rodrigo Piquet, à sua frente. Como deu a entender que iria partir para cima de Nelsinho, Rodrigo interveio. Os dois trocaram socos até a segurança agir. Scandian definiu o adversário na pista como "marginal". Nelsinho não escondeu sentir ter disputado sua última corrida no Brasil antes de embarcar para a Europa. "Tivemos, juntos, um ano fantástico." Nesta segunda-feira o filho de Piquet treina em Interlagos, pela primeira vez, com um monoposto de elevada potência. Ele irá pilotar o carro da Repsol usado domingo na etapa da Telefonica World Series, em São Paulo. Trata-se de um Dallara-Nissan, com 415 cavalos de potência. "Vou estar lá, acompanhando o menino", disse Nelson. Fórmula 3 Light - Com o terceiro lugar obtido neste domingo, Duda Azevedo, da Cesario Fórmula 3, conquistou o título da categoria. Daniel Landi, companheiro de Azevedo, venceu a prova.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.