F-Renault: os pneus são a preocupação

Os 30 pilotos que lutam neste sábado pela pole position da segunda etapa da F-Renault brasileira, em Brasília, entram na pista com uma preocupação em comum: o desgaste dos pneus. O asfalto abrasivo da pista de 5.475 metros do Autódromo Internacional Nelson Piquet está, desde os primeiros treinos, na quinta-feira, causando um desgaste bem maior do que era esperado. "Realmente, está sendo um problema?, disse o paulista Sérgio Jimenez, da Bassani Racing, o mais rápido no treino livre desta sexta-feira (1min56s314), e forte candidato à pole na sessão classificatória desta tarde, das 13h30 às 14 horas. Por isso, na tomada de tempos, muitos pilotos deverão usar os dois jogos de pneus novos de que dispõem por corrida - têm direito, também, a dois jogos usados na corrida anterior. Nessa situação, quem conseguir um bom tempo com o primeiro jogo, terá a chance de optar por guardar o segundo para a corrida deste domingo, o que poderá se tornar uma vantagem importante durante os 25 minutos (ou 80 quilômetros) de prova. A "poupança?, aliás, vem sendo feita desde quinta-feira. "A maioria guardou os pneus novos?, acredita Jimenez. Isso foi um dos fatores que resultaram em tempos aquém do esperado dos treinamentos. O outro foi a temperatura da pista, que tem aumentado bastante à tarde em relação aos treinos matinais. Nesta sexta-feira, na sessão realizada à tarde, poucos pilotos conseguiram melhorar a marca que haviam obtido pela manhã. O mineiro Igor Ciampi (Vogel), por exemplo, mais rápido na segunda sessão com 1min57s076, fez uma marca inferior aos sete melhores da primeira sessão. A etapa de Brasília da F-Renault, segunda do campeonato (Ciampi venceu a primeira, em Curitiba), terá duas estréias: Nelson Angelo Piquet, filho do tricampeão de F-1 Nelson Piquet, na Gramacho Racing, e o paulista Fernando Rees, na Dragão-Cesário. Acidente - Durante o treino da Copa Clio, o carioca Otto Carneiro bateu forte e destruiu o carro. Ele foi levado para um hospital de Brasília para exames, mas estava bem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.