F1: nova proposta para definir grid

Tudo começou sem que muita gente levasse a proposta a sério. Mas depois de apresentada aos representantes das equipes, na Hungria, a idéia ganhou surpreendente força. Tony Purnell, diretor da Jaguar, e a revista inglesa F1 Racing, do grupo Autosport, defendem a criação de duas minicorridas, uma na sexta-feira e outra no sábado, como forma de se conhecer o grid das provas da Fórmula 1.Que o sistema de classificação irá mudar ninguém duvida. A atual forma consegue não agradar público, pilotos, técnicos e jornalistas. Resta saber qual será a solução encontrada.Purnell sugeriu que na sexta-feira à tarde fosse realizado um sorteio entre os 20 pilotos que disputam o Mundial. Ele apontaria a ordem de largada de cada um. Logo em seguida, seria realizada uma corrida em 10 voltas, com o grid do sorteio. No sábado à tarde, seria disputado outro mini-GP, também em 10 voltas. E ordem de largada dessa corrida seria a da primeira, mas invertida."Se Michael Schumacher obtivesse a 19ª colocação, por exemplo, no sorteio de sexta-feira, ele sairia em segundo na prova do sábado", explicou Purnell. E assim por diante. Alguém que tenha sido sorteado para largar na pole na sexta-feira, sairia em último no sábado. "As chances seriam iguais para todos", defende o diretor da Jaguar. "Já imaginaram Schumacher tendo de ultrapassar todo mundo? Seria a garantia de fortes emoções."A combinação entre os resultados dos mini-GPs de sexta-feira e de sábado definiria o grid da corrida no domingo. "Todos teriam de dar tudo o tempo todo", explicou Purnell.Eddie Jordan, da Jordan, qualificou a proposta como "brilhante e empolgante". E Paul Stoddart, proprietário da Minardi, já decidiu: "Tem o meu apoio."Max Mosley, presidente da FIA, comentou: "É uma bela idéia, mas gostaria que o público também se manifestasse". Por isso, há um campo no site fia.com para os fãs da Fórmula 1 opinarem e sugerirem. Até Ross Brawn, diretor-técnico da Ferrari, disse ter visto a proposta com bons olhos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.