Família Schumacher deve dominar a F-1

A disputa pelas melhores colocações no Campeonato Mundial de Pilotos de Fórmula 1 está se tornando exclusiva da família Schumacher. Esse é o tema da edição de hoje de dois dos principais jornais italianos de esporte, a Gazzetta dello Sport e o Corriere dello Sport. A conquista iminente do quarto título de Michael, piloto da Ferrari, e a possibilidade, agora grande, de o vice-campeão ser o seu irmão, Ralf, dominam a cobertura do GP da Alemanha, vencido com enorme facilidade pelo piloto da Williams, domingo em Hockenheim. "Das 12 etapas já realizadas, o Schumi-show ganhou 9", lembra o texto do Corriere. Apesar de o diretor da Mercedes, Norbert Haug, sócia da McLaren, declarar que o Mundial ainda não acabou, não há quem não acredite que Michel deixará de ser campeão. Dia 19, na Hungria, na 13ª prova da temporada, se David Coulthard, da McLaren, não marcar pontos, como vem ocorrendo há duas corridas, basta a Michael classificar-se em quarto lugar para tudo ser festa. O que parece bem mais provável de ocorrer é Coulthard perder o segundo lugar no campeonato. Ralf Schumacher e Rubens Barrichello, companheiro de Michael, estão à sua caça. O escocês soma 47 pontos diante de 41 de Ralf e 40 de Rubinho. Restam cinco etapas para o encerramento do Mundial. Gerhard Berger, diretor-esportivo, e Mario Theissen, diretor-técnico da BMW, afirmam que a Williams não deverá ser a vice-campeã entre os construtores este ano. Os números mostram que, surpreendentemente, essa associação, com 56 pontos, pode deixar para trás a McLaren-Mercedes, que soma apenas 10 a mais. A Ferrari está em primeiro, disparada, com 124. Com o segundo lugar de Rubinho em Hockenheim, a Ferrari completou 31 GPs consecutivos em que ao menos um dos seus pilotos chega ao pódio. A última vez que o time de Maranello não teve piloto entre os três primeiros foi no GP da Europa de 1999. Mas como Michael e a Ferrari deverão mesmo ser campeões, o avanço extraordinário da Williams-BMW se tornou a principal notícia da Fórmula 1. "Havíamos planejado disputar o título em 2003, mas parece que a coisa será mais rápida", comenta Theissen. Se Ralf é apontado como o favorito para ser o vice de seu irmão já este ano, na próxima temporada é quase unânime, dentro da Fórmula 1, que o conjunto Williams-BMW-Michelin lhe permitirá ficar com o título. "Eles começaram a lutar pelas vitórias um pouco tarde, neste campeonato, mas em 2002 penso que serão os nossos adversários mais difíceis", avaliou Michael. O empresário dos dois irmãos, que já dominam o Mundial e devem, no ano que vem, continuar impondo-se sobre os demais, Willi Weber, não vê nenhum mal nos dois se revezarem nas vitórias. "Atuando dentro das regras do jogo, claro, eles só tendem a capitalizar com isso." Não há conflitos de interesses na administração das duas carreiras. "Quem nos procura sabe já de antemão com quem deseja fazer negócio, Michael ou Ralf. Eu não os ofereço a ninguém." Hoje Ralf disse que irá aproveitar as duas semanas de férias no calendário do campeonato para, junto de Cora, que espera o primeiro filho do casal, "não fazer nada." Michael também contou que permanecerá em casa, em Vufflens-le-Chateau, na Suíça, com os filhos Ginna Maria e Michael II. Até o GP da Hungria os testes estão proibidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.