Farfus vai correr na F-3000 Européia

Se valer a fórmula, o Brasil poderá ter em 2003 mais um jovem e talentoso piloto na Fórmula 1, a exemplo de Felipe Massa na próxima temporada. O curitibano Augusto Farfus Júnior, de apenas 18 anos, recém-completados, seguirá a mesma trilha descoberta por Massa: em 2002 disputará a Fórmula 3000 Européia, com a equipe que Massa competiu e venceu, este ano, o campeonato, a Draco, da Itália. "Meu objetivo é não só chegar à Fórmula 1, mas ficar", disse nesta sexta-feira Farfus, em São Paulo, onde expôs seus planos para o futuro. O desafio de Farfus este ano não era pequeno: com apenas 17 anos, morar sozinho na Europa e disputar a ultracompetitiva Fórmula Renault Européia. Ele não só completou suas tarefas como venceu. Farfus tornou-se campeão europeu. "Minha intenção agora é fazer um ano de Fórmula 3000, refiro-me ao Campeonato Europeu, e outro na Fórmula 3000 Internacional. Aí vamos ver." Demonstrando maturidade impressionante para a sua idade, Farfus comentou que a Fórmula 1 é uma realidade distante e próxima ao mesmo tempo. "Depende muito do meu trabalho", diz. O fato de ocupar a vaga de Massa, que conquistou tudo desde que desembarcou na Europa, ano passado - Campeonatos Italiano e Europeu de Fórmula Renault e Europeu de Fórmula 3000 -, não significa nenhuma responsabilidade extra para Farfus, segundo ele próprio. "Não me sinto pressionado com isso. Vou sentar no carro e fazer a minha parte, que é tentar ser campeão também." Escola - A experiência da Fórmula Renault lhe será muito útil. "Trata-se de uma excelente categoria-escola. Desde o ano passado, quando passou a usar um novo modelo, a Fórmula Renault evoluiu muito." Esse avanço está permitindo, por exemplo, que jovens egressos da Fórmula Renault atinjam quase diretamente a Fórmula 1. "Isso explica o Kimi Raikkonen e agora o Felipe Massa chegarem lá." Mas acelerar um carro da Fórmula 3000 exigiu aprendizado. "O pulo é muito grande." Em 2002 a Fórmula 3000 Européia passará a competir com o modelo que este ano foi usado na Fórmula 3000 Internacional. Todos correm com o mesmo chassi Lola, motor Zytec V-8 de 470 cavalos e pneus Avon. "Nos testes que fiz deu para ver que é preciso muito preparo físico para pilotar esses carros." Farfus conta com um tipo de apoio raro: há 10 anos anos a Credicard patrocina sua carreira. Segundo o presidente da empresa, Hector Nevarez, o retorno propiciado pelo piloto equivale a "10 ou 12 vezes o investimento realizado." Este ano a Credicard investiu US$ 180 mil e para 2002 estão previstos US$ 540 mil. O objetivo da empresa é seguir com Farfus até a Fórmula 1, quando deverá capitalizar ainda mais o investimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.