Diego Azubel/EFE
Diego Azubel/EFE

Felipe Massa admite dificuldade para treino de classificação

Quase um segundo mais lento que Vettel, brasileiro ficou decepcionado com 6.º lugar nos treinos livres

AE, Agência Estado

15 de abril de 2011 | 10h29

O sexto melhor tempo nos treinos livres para o GP da China de Fórmula 1, na madrugada desta sexta-feira, não era o resultado esperado por Felipe Massa. Quase um segundo mais lento que Sebastian Vettel, o mais rápido - 1min37s688 a 1min38s507 -, o brasileiro, sexto mais rápido nas duas sessões, não escondeu sua decepção, mas demonstrou conformismo e disse não esperar situação diferente nos treinos classificatórios deste sábado.

"Como já havia acontecido nas duas primeiras corridas da temporada, hoje (sexta-feira) testemunhamos uma Red Bull muito veloz. Racionalmente, estou feliz com o desempenho do carro, que produziu resultados interessantes. Estou esperando um melhor treino de classificação, mas sabemos que será muito difícil. Pelo que vimos, acredito que a situação na corrida será similar ao que vimos na Malásia", declarou.

Felipe Massa foi apenas o quinto colocado no GP da Malásia, no último domingo, vencido por Sebastian Vettel, enquanto Fernando Alonso foi o sexto. O espanhol, que foi 12.º na primeira sessão e 14.º na segunda, e teve o 14.º melhor tempo no geral desta sexta, com 1min39s778, seguiu o discurso de seu companheiro de Ferrari e admitiu a superioridade de Red Bull e McLaren.

"Não espero que mude muita coisa do que eu vi na Malásia e na Austrália (onde Vettel também venceu). A McLaren e especialmente a Red Bull estão mais rápidas que a gente e são favoritas. No momento não somos capazes de lutar pela vitória, mas isso não significa que não tentaremos", afirmou Alonso.

Veja também:

linkSebastian Vettel domina treinos livres do GP da China

linkVettel espera disputa apertada no treino classificatório

linkSebastian Vettel lidera primeiro treino livre do GP da China

linkNa definição do grid em Xangai, a hora da verdade

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.