Felipe Massa admite que GP da Europa foi tenso e difícil

Brasileiro admite que ficou preocupado com motor; na Hungria, ele teve que abandonar a três voltas do fim

Livio Oricchio, O Estado de S.Paulo

24 de agosto de 2008 | 14h00

O brasileiro Felipe Massa admitiu neste domingo que o GP da Europa foi uma prova tensa para ele, principalmente depois do que aconteceu na Hungria há três semanas, quando ele vencia e o motor explodiu faltando três voltas para o final.Veja também: Felipe Massa vence e volta a lutar pelo título na Fórmula 1"Foi difícil, principalmente porque na Hungria tive um desempenho sensacional, mas com um fim trágico. Lógico que dentro do carro eu pensava que algo poderia acontecer", revelou o piloto da Ferrari, que chegou no Circuito de Valência, na Espanha, a quarta vitória de sua carreira.De acordo com Massa, o trabalho da equipe foi impecável, mas mesmo assim nas últimas voltas ele ficou preocupado. "De um lado tem o diabinho dizendo que o motor pode quebrar e de outro tem o anjinho falando que isso não pode acontecer duas vezes seguidas", assinalou.O brasileiro também comentou o azar do companheiro Kimi Raikkonen. O motor do finlandês quebrou durante a prova deste domingo. "Lógico que isso me deixou com a pulga atrás da orelha, mas eu sabia que o dele estava na segunda corrida e o meu na primeira. Nas últimas voltas consegui ainda poupar o motor, só espero que na próxima corrida não aconteça nada".FERRARIO piloto do Brasil preferiu não falar sobre uma possível preferência da Ferrari neste momento. Faltando seis provas para o fim da temporada, ele tem uma vantagem de sete pontos sobre Raikkonen."Eu acho que não sou eu que tenho que definir isso, meu trabalho é fazer o melhor dentro da pista e sempre tive uma honestidade muito grande em todas equipes que trabalhei", declarou.PUNIÇÃOFelipe Massa também falou que não sabia que poderia ser punido durante a corrida. Após sua saída dos boxes na segunda parada, ele quase se chocou com o alemão Adrian Sutil, da Force India. O brasileiro acabou levando apenas uma multa em dinheiro."A gente viu este tipo de manobra muitas vezes na Fórmula 1 é uma manobra totalmente aceitável, não podemos ser punidos por isso".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.