Felipe Massa aponta instabilidade do novo carro em provas na chuva

Brasileiro é apenas o nono colocado com sua Williams no grid para o GP da Austrália de F-1

Agência Estado

15 de março de 2014 | 09h49

MELBOURNE - Felipe Massa atribuiu o nono lugar no grid do GP da Austrália, obtido no treino classificatório da Fórmula 1 deste sábado, à instabilidade de sua Williams na pista molhada de Melbourne. Segundo o brasileiro, o comportamento do carro variou bastante debaixo da chuva, principalmente na última sessão. "O carro estava bom na pista seca, no terceiro treino livre e no início da classificação. Mas na pista molhada nós tivemos dificuldade para lidar com a pressão aerodinâmica na parte traseira do carro. Estas condições (chuva) parecem atrapalhar mais os nossos carros", comentou Massa.

Seu companheiro Valtteri Bottas também teve rendimento regular. Ambos chegaram ao Q3, última sessão do treino, mas não conseguiram boas colocações. O finlandês ficou em último lugar nesta parte da atividade, no 10º lugar, mas acabou caindo para o 15º posto do grid porque foi punido com a perda de cinco posições após ter trocado a caixa de câmbio.

"Colocar os dois carros no Q3 é um passo adiante para a equipe, em comparação à última temporada. Mas com certeza tínhamos um carro capaz de ir mais longe no grid", avaliou Massa. "Domingo, a corrida será muito imprevisível, com a confiabilidade dos carros tendo um papel importante. Então, precisamos trabalhar duro para não ter problemas".

A chuva poderá voltar a cair em Melbourne neste domingo, como aconteceu sábado, mas a previsão é de tempo seco. "Não esperamos por chuva na corrida. Então acho que isso ajudará Felipe e Valtteri a ganhar posições. Acreditamos que poderemos colocar os dois carros na zona de pontos", disse Rod Nelson, chefe de testes e engenheiro de apoio da Williams. Somente os 10 primeiros colocados somam pontos na Fórmula 1.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.