Felipe Massa diz que cresceu com derrota sofrida em 2008

Brasileiro se diz acostumado com a pressão e que não tem mais que provar capacidade após a última temporada

AE-AP, Agência Estado

15 de janeiro de 2009 | 13h37

O público da Fórmula 1 vai conhecer um Felipe Massa mais maduro e sensato na temporada 2009. O piloto brasileiro da Ferrari contou nesta quinta-feira que cresceu muito no ano passado, principalmente depois de perder o título mundial na última curva da última prova.Veja também:Kimi Raikkonen quer um ano mais instigante em 2009Chefe da Ferrari diz que Raikkonen 'vive em outro planeta' Galeria de imagens da Ferrari para 2009, o F60"Perder o campeonato daquela forma de fez refletir muito, e certamente essa experiência vai me ajudar a crescer", afirmou Massa, durante evento da Ferrari em Madonna di Campiglio, na Itália. Segundo ele, conquistar o título mundial é o mais importante, mas sem a obrigação de ter de provar sua capacidade a cada corrida. "Pressão sempre existe, mas já ganhei muitas corridas e não tenho de mostrar mais nada para ninguém."Massa venceu o GP do Brasil do ano passado e era campeão no momento em que cruzou a linha de chegada, mas segundos depois Lewis Hamilton passou por Timo Glock, da Toyota, assumindo a quinta posição e conquistando o ponto que lhe faltava para ser campeão.Refeito do trauma, o brasileiro se mostra tão confiante que minimiza as dificuldades com as novidades do regulamento, como a adoção do Kers, o sistema de recuperação de energia cinética, dispositivo que transforma a energia perdida nas frenagens em potência extra, a ser utilizada em alguns segundos a cada volta."Muda um pouco o jeito de frear, mas não é um grande problema. É mais positivo do que pensávamos, e nos ajuda a melhorar o desempenho do carro", disse Massa. A opinião vai na contramão de vários dirigentes, entre eles o presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo, que já reclamou publicamente da adoção do Kers já nesta temporada.Massa admitiu, no entanto, que há muita coisa para se estudar no F60, modelo que guiou por algumas voltas no começo da semana, em Mugello, e que testará para valer apenas na semana que vem, em Portugal. "É um carro muito diferente, com várias coisas novas. Por exemplo, ainda não sei como aproveitar ao máximo o potencial da nova asa dianteira", contou, sobre o desenho aerodinâmico totalmente diferente, com a asa dianteira bem larga e a traseira mais alta e estreita. "São mudanças aerodinâmicas muito grandes, e isso modifica bastante o jeito de guiar o carro."O brasileiro disse ainda que não se importa com os rumores de que o espanhol Fernando Alonso vai guiar pela Ferrari em 2012 - seu contrato, assim como o de Kimi Raikkonen, se encerra no fim de 2010. "Faz dois anos que se fala disso, e até agora nada. Boatos são só boatos, que às vezes se confirmam e às vezes não", concluiu Massa.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1FerrariFelipe Massa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.