Felipe Massa diz que pit stop lento tirou chance de pódio na Áustria

Piloto brasileiro conseguiu a pole position nos treinos classificatórios de sábado, mas completou o circuito apenas na quarta colocação 

Agência Estado

22 de junho de 2014 | 14h05

Depois de largar na pole pela primeira vez desde o GP do Brasil de 2008, quando obteve justamente a sua última vitória na Fórmula 1, Felipe Massa não escondeu a decepção com o fato de que não conseguiu passar de um quarto lugar na Áustria, neste domingo, na oitava etapa deste Mundial da categoria. E, para o brasileiro, a lentidão da Williams em seu primeiro pit stop na corrida tirou suas chances de brigar por um lugar no pódio no circuito de Spielberg.

"O problema foi na primeira parada. Não sei o que aconteceu. O (Nico) Rosberg estava bem próximo e acabou me ultrapassando. Perdi muito tempo naquela volta. Ali foi o momento em que perdi a chance de brigar pelo pódio. O Valtteri (Bottas) acabou parando e voltando na frente", afirmou Massa, em entrevista para a TV Globo, logo após a corrida.

Ele admitiu que "não ia ser fácil" ficar na frente das Mercedes, mas enfatizou que um "pódio era possível" se não fosse o problema encarado nos boxes. "Foi o momento-chave da corrida. Mas continuo feliz pelo resultado, pela equipe. O resultado de hoje foi muito importante para a equipe toda. Estou feliz pela corrida que a gente fez", ressaltou, se referindo ao fato de que Bottas, seu companheiro de time, ficou com o terceiro lugar.

A evolução gradativa da Williams, que já havia ficado clara com o nível de competitividade exibido pela equipe no GP do Canadá, há duas semanas, também foi destacada por Massa. "A coisa principal é que nós conseguimos 27 pontos, o que significa que nós avançamos no Mundial de Construtores. Progredimos muito, mas ainda há muito trabalho pela frente para reduzir a diferença para a Mercedes", enfatizou.

Nesta disputa paralela do Mundial, a equipe inglesa assumiu a quinta posição na classificação geral, com 85 pontos, apenas dois atrás da Force India. A Mercedes é a líder disparada, com 301, seguida de longe por Red Bull, vice-líder, com 143, e Ferrari, com 98.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.