Felipe Massa minimiza erro e defende união na Ferrari

Depois de ser prejudicado pela equipe da Ferrari durante o GP de Cingapura de Fórmula 1, neste domingo, o brasileiro Felipe Massa minimizou o erro no pit stop e afirmou que o grupo vai precisar de união para correr as últimas três provas da temporada. "Essas coisas acontecem. Somos todos seres humanos. Todo mundo pode cometer erros. Não sou o tipo de pessoa que vai até o cara (mecânico) e faz críticas pesadas", declarou o piloto, se referindo à falha no pit stop. Depois de fazer o reabastecimento, Massa foi liberado para deixar os boxes quando a mangueira do combustível ainda estava acoplada ao carro. "Fui até o cara e tentei motivá-lo porque nós precisamos dele e de toda a equipe unida para as últimas três corridas do ano", declarou Massa. De líder da corrida, o brasileiro foi para a última posição. Além da demora para remover a mangueira, o piloto ainda foi prejudicado pela punição (drive-through) por quase ter colidido com o piloto alemão Adrian Sutil na saída dos boxes. Com a 13ª posição na corrida, Massa não pontuou, enquanto o inglês Lewis Hamilton, da McLaren, abriu uma vantagem de sete pontos (84 contra 77) sobre o brasileiro, após chegar em terceiro em Cingapura. O piloto da Ferrari, no entanto, não diz se preocupar com a diferença na classificação geral. "Nós temos 30 pontos a serem disputados e um carro rápido. Isso é que é o mais importante".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.