Arquivo/AE
Arquivo/AE

Felipe Massa pede mais esporte e menos política na F-1

Brasileiro espera o fim da confusão entre os chefões e disse ainda que não acredita na saída da Ferrari

EFE

18 de maio de 2009 | 16h35

MONTECARLO - O piloto brasileiro Felipe Massa, da Ferrari, defendeu nesta segunda-feira que se fale menos de política e mais de esporte na Fórmula 1 e disse não poder imaginar uma temporada da categoria sem a participação da tradicional escuderia italiana - algo que pode ocorrer em 2010.

Veja também:

tabela F-1: classificação do Mundial

especial Confira o calendário da temporada

especial ESPECIAL: jogue o Desafio dos Pilotos

"Não espero nada em particular da sentença do tribunal de Paris sobre os regulamentos para a próxima temporada de F-1. Espero que se fale, no futuro, menos de política e mais de esporte, porque até agora, nesta temporada, aconteceu o contrário", afirmou Massa.

Em declarações à imprensa italiana durante a inauguração de uma loja da Ferrari na cidade italiana de Florença, Massa falou que as "muitas questões políticas e não esportivas" que concentraram as atenções nas últimas semanas prejudicaram o desempenho da escuderia na atual temporada.

Entretanto, o brasileiro confia em uma melhor atuação na próxima etapa do Mundial de F-1, neste final de semana, em Mônaco. "Os difusores farão a diferença também em Mônaco. Agora, a Ferrari também os têm, desde o Grande Prêmio da Espanha, e estamos mais competitivos", comentou Massa.

"Viemos de um início de campeonato como não esperávamos. Crescemos muito, principalmente na última corrida, em Barcelona, e acho que podemos melhorar daqui até o final", opinou o piloto.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1FerrariFelipe Massa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.