Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Felipe Nasr lamenta punição em Interlagos, mas não desanima

'Ultrapassar aqui é muito difícil, a largada será fundamental', projeta

FELIPE ROSA MENDES, Estadão Conteúdo

14 de novembro de 2015 | 18h57

Felipe Nasr lamentou a punição recebida ao fim do treino classificatório do GP do Brasil, mas não desanimou na véspera de sua primeira corrida no autódromo de Interlagos, em São Paulo, pela Fórmula 1. O brasileiro aposta na largada para se recuperar do 13.º posto e finalizar a corrida entre os 10 primeiros colocados.

"A punição foi uma pena, mas vou fazer o meu melhor para finalizar a corrida na zona de pontuação", declarou o piloto da Sauber. Ele foi o 11.º mais rápido do treino, surpreendendo em comparação ao rendimento nos treinos livres, mas foi punido com a perda de três posições no grid - largará em 13.º por causa de pena anterior aplicada ao australiano Daniel Ricciardo, da Red Bull.

Nasr foi punido porque atrapalhou Felipe Massa nos instantes finais do Q2, a segunda sessão do treino classificatório. Ele impediu a passagem do compatriota, que fazia volta rápida na briga para ir ao Q3. Massa precisou sair da pista para evitar a colisão com o carro de Nasr logo à frente.

"Fui avisado que todos estavam sincronizados na mesma volta. A última mensagem que eu tinha era que o (Valtteri) Bottas estava atrás de mim, numa volta mais lenta. Infelizmente, ele e o Felipe (Massa) trocaram de posição na pista", explicou Nasr.

Apesar da boa evolução ao longo do fim de semana, o brasileiro diz contar com algum fator extra para surpreender os rivais no domingo. "Somente com o nosso ritmo será difícil pontuar. Precisamos de alguma coisa na corrida para ter oportunidade para pontuar. Ultrapassar aqui é muito difícil, a largada será fundamental", projetou.

Além disso, Nasr conta com o apoio da torcida, que já demonstrou forte apoio ao piloto neste sábado. Ao fim do treino, o brasileiro foi até o muro do pit lance para agradecer o público com acenos. "É uma sensação boa, fui bem recebido por todo mundo, até mesmo os funcionários que trabalham aqui, tive um carinho grande de todo mundo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.