Fernando Alonso admite melhorias, mas cobra Scuderia Ferrari mais veloz

Piloto ficou apenas uma posição do pódio pela segunda corrida consecutiva

O Estado de S. Paulo

30 de março de 2014 | 15h33

KUALA LUMPUR - Quarto colocado pela segunda prova consecutiva neste Mundial de Fórmula 1, Fernando Alonso admitiu que o carro da Ferrari mostrou evolução no GP da Malásia, neste domingo, mas o piloto já cobrou mais veloz do que a atual para a continuidade da temporada, na qual a próxima prova será já no próximo final de semana, no Bahrein.

"Os pontos conquistados hoje são resultado de um final de semana livres de problemas, em que as pequenas melhorias que fizemos no carro funcionaram como esperávamos", disse o piloto espanhol, que anteriormente abriu o campeonato com a quarta colocação no GP da Austrália, e agora frisou: "Nós definitivamente ainda temos muito trabalho pela frente, porque enquanto estamos nos movendo para a frente, os outros estão fazendo o mesmo. Ainda temos muito para aprender nestas corridas iniciais, mas não é nenhum segredo que nós definitivamente precisamos melhorar nossa velocidade máxima, como pôde ser visto a partir de meu duelo com o (Nico) Hülkenberg".

O finlandês Kimi Raikkonen, por sua vez, não escondeu a sua decepção com o fato de ter terminado o GP da Malásia em 12º lugar, que a posição acabou sendo reflexo do acidente no qual ele se envolveu com o dinamarquês Kevin Magnussen, da McLaren.

"Estou muito desapontado com a forma como a corrida acabou, porque eu tive um bom começo, mas depois a colisão com Magnussen danificou meu pneu traseiro direito, o que significava que eu tinha que fazer uma parada extra. Isso acabou com qualquer chance que eu tinha de lutar por um bom fim de corrida", lamentou.

Em seguida, o piloto admitiu que "é difícil dizer como as coisas poderiam ter sido sem esse problema, porque os nossos rivais foram muito rápidos". "Foi um dia realmente azarado, mas, no geral, conseguimos melhorar o nosso desempenho e agora temos de nos concentrar nos aspectos positivos deste fim de semana e trabalhar para melhorar começando já a partir da próxima semana, no Bahrein", projetou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.