Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Fernando Alonso larga na pole na Hungria

Se a lógica prevalecer amanhã ao longo das 70 voltas do GP da Hungria, 13.ª etapa do Mundial, o líder do campeonato, Michael Schumacher, da Ferrari, verá a diferença de seis pontos para o segundo colocado, Juan Pablo Montoya, da Williams, reduzir-se ainda mais. Hoje, na sessão que definiu o grid, o espanhol Fernando Alonso, da Renault, conquistou a segunda pole position da carreira, enquanto Schumacher obteve apenas o oitavo tempo, diante da quarta melhor marca de Montoya. E a maioria dos pilotos tem a mesma opinião: apesar das mudanças no circuito Hungaroring, continua muito difícil ultrapassar. Mais uma vez a Michelin demonstrou que sob calor forte como hoje, ar a 32 graus e pista a 43, a Bridgestone não é adversária. O primeiro piloto com os pneus japoneses foi Rubens Barrichello, da Ferrari, quinto, e o outro entre os dez, Schumacher. Por esse motivo e a sua posição no grid, bem para trás, é que a conquista do sexto título de Schumacher, o quarto em série, já está em xeque. "Estou decepcionado. No warm-up nosso ritmo era semelhante ao dos nossos concorrentes." Sua Ferrari escorregava demais no liso asfalto do traçado de Budapeste. Montoya e o finlandês Kimi Raikkonen, da McLaren, sétimo hoje, seus adversários imediatos na luta pelo Mundial, têm boa chance de se aproximarem bastante na classificação. Outro que está cumprindo até aqui a promessa de quinta-feira é Ralf Schumacher, da Williams. Hoje ele registrou o segundo tempo e larga amanhã na primeira fila. "Espere até domingo depois da corrida e vocês verão se eu estou fora da disputa do título", afirmou. Largar em segundo no GP da Hungria é uma grande vantagem. Ralf tem 53 pontos, quarto, diante de 71 do irmão, 65 de Montoya e 62 de Raikkonen. "Estou contente com o resultado, mas bastante preocupado por ter de largar do lado sujo da pista, o que aqui faz muita diferença." Todos os pilotos em posição par na classificação manifestaram a mesma coisa: nenhum outro autódromo dos 16 do calendário deste ano acumula tanta sujeira e é, ao mesmo tempo, tão escorregadio quanto Hungaroring. Alonso afirmou que tão importante quanto estar em primeiro é largar do lado limpo da pista. "Depois do meu segundo lugar em Barcelona não voltei mais para o pódio. Penso que aqui, se contornar a primeira curva na frente, esse é um resultado bem possível de ser alcançado novamente." O veloz Mark Webber, da Jaguar, brilhante terceiro hoje, lembrou o mesmo de Alonso: "Sou o terceiro no grid, posição impar", sugerindo que poderia ultrapassar Ralf Schumacher, o segundo. O bom trabalho de David Coukthard, da McLaren, sexta-feira, quarto colocado, ficou naquilo. Hoje voltou a ser o escocês de sempre, nono. Nem mesmo classificou-se à frente de Schumacher, a fim de ajudar o companheiro, Raikkonen, na luta pelo campeonato. "Largo ao lado dele (Schumacher), mas do lado limpo." Se Coulthard aproveitar-se dessa importante vantagem na Hungria e do melhor sistema automático de largada da McLaren, em comparação ao da Ferrari, a vida de Schumacher na prova será ainda mais dificultada. Cristiano da Matta, da Toyota, larga smsnhã na 15.ª colocação. Acidente grave - o inglês Ralph Firman, da Jordan, sofreu um acidente de sérias proporções aos 10 minutos do treino livre da manhã, hoje, no ponto mais veloz da pista, pouco antes da curva 4. O aerofólio traseiro do seu carro desprendeu-se, tornando-o indirigível. Firman colidiu contra a barreira de pneus a cerca de 200 km/h. Depois de atendido no próprio autódromo foi levado de helicóptero ao Hospital Traumatologia Intezet, onde não constataram nenhuma fratura. Como sua participação na corrida foi vetada pelo médico da Fórmula 1, Sid Watkins, a Jordan solicitou autorização para Zsolt Baumgartner substituí-lo. O húngaro havia sido o terceiro piloto da Jordan nos testes extras de sexta-feira. Rapidamente a Comissão de Fórmula 1 tratou de autorizar a emissão da superlicença e Baumgartner obteve o 19.º tempo na classificação.Eis como ficou o grid de largada:1) Fernando Alonso, Espanha, Renault, 1m21s688.2) Ralf Schumacher, Alemanha, Williams, 1m21s944.3) Mark Webber, Austrália, Jaguar, 1m22s027.4) Juan Pablo Montoya, Colômbia, Williams, 1m22s180.5) Rubens Barrichello, Brasil, Ferrari, 1m22s180.6) Jarno Trulli, Itália, Renault, 1m22s610.7) Kimi Raikkonen, Finlândia, McLaren, 1m22s742.8) Michael Schumacher, Alemanha, Ferrari, 1m22s755.9) David Coulthard, Inglatertra, McLaren, 1m23s060.10) Olivier Panis, França, Toyota, 1m23s369.11) Nick Heidfeld, Alemanha, Sauber, 1m23s621.12) Justin Wilson, Inglaterra, Jaguar, 1m23s660.13) Giancarlo Fisichella, Itália, Jordan, 1m23s726.14) Jenson Button, Inglaterra, BAR, 1m23s847.15) Cristiano Da Matta, Brasil, Toyota, 1m23s982.16) Jacques Villeneuve, Canadá, BAR, 1m24s100.17) Heinz-Harald Frentzen, Alemanha, Sauber, 1m24s569.18) Jos Verstappen, Holanda, Minardi, 1m26s423.19) Zsolt Baumgartner, Hungria, Jordan, 1m26s678.20) Nicolas Kiesa, Dinamarca, Minardi, 1m28s907.

Agencia Estado,

23 de agosto de 2003 | 10h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.