Fernando Alonso: o namoradinho da Espanha

É só ele pôr a cabeça para fora do motorhome da Renault para uma verdadeira balburdia se estabelecer no paddock do Circuito da Catalunha. Os fãs, mais precisamente as fãs, do jovem austuriano Fernando Alonso se comportam como se o piloto fosse uma estrela do rock. Enquanto ele não aparece para saudá-los, permanecem chamando em tom cantante a maior parte do tempo: "Alooonso, Alooonso, Alooonso." Os jornais esportivos espanhóis, à sua maneira, não são diferentes.As edições desta sexta-feira dos quatro mais importantes, Marca, As, Sport e Mundo Deportivo, traziam páginas e páginas de reportagens sobre o "namoradinho" da Espanha. Que, sempre que possível, diga-se, retribui toda manifestação de carinho. Nesta sexta, por exemplo, foi até próximo de uma cerca que separa parte do autódromo do paddock. Agitou até a segurança do evento tal o barulho que vinha dos torcedores. A grande maioria adolescentes, quase como ele."Eu me divirto com os fotógrafos. Eu me mexo e só vejo flashes para todo lado. Se eu movimento o braço, mesma coisa, se dou risada então, preciso fechar os olhos", disse sorrindo Alonso. "Sei que terei uma arquibancada inteirinha azul e isso é algo muito especial para mim." A bandeira de sua região na Espanha, Astúrias, é azul e amarela, tal qual as cores da Renault.A todo instante, a cada entrevista, ele diz como forma de não desejar frustrar seus fãns: "O rendimento da Ferrari nos impede sequer de pensar em vitória. Se conseguir um bom lugar no grid e largar bem, é realista pensarmos num lugar no pódio." Na sessão da tarde, nesta sexta, o espanhol conseguiu o quinto tempo, a 599 milésimos de Jenson Button, da BAR, o mais rápido. "Nosso carro está nervoso, sua traseira se projeta com alguma violência nas curvas." Alonso é o quinto no campeonato, com 16 pontos.Algumas publicações a seu respeito lançadas nos últimos dias chegaram a irritar o piloto. "Não são biografias autorizadas", afirmou."Assim se faz um campeão" é o título do livro do jornalista Josep Viaplana. Das 32 páginas do suplemento especial de Fórmula 1 do Sport, nada menos de as oito primeiras são dedicadas a Alonso. Como os demais jornais, dão grande destaque aos recordes do competente representante do país na competição.Os quadros mostram através de infográficos bem realizados: Alonso é o piloto mais jovem da história a vencer um GP, com 22 anos e 26 dias.Foi na Hungria, ano passado. Nasceu no dia 29 de julho de 1981. É dele também a marca de precocidade para estabelecer a pole position, com 21 anos, 7 meses e 22 dias, na Malásia, em 2003. Outro recorde: o mais jovem a subir no pódio, 21 anos, 7 meses e 22 dias, na mesma prova que venceu, e a registrar a volta mais rápida, com 21 anos, 10 meses e 17 dias, no GP do Canadá da temporada passada.Na página dupla seguinte aparecem os números arrasadores de Michael Schumacher, que completa em Barcelona sua corrida de número 200. Alonso disputa a sua 38ª prova no Mundial. E seu talento o levará muito longe também. Ninguém duvida na Fórmula 1.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.