Edgar Su / Reuters
Edgar Su / Reuters

Fernando Alonso se mostra otimista com a McLaren: 'É hora de voltarmos ao topo'

Equipe apresentou melhoras na primeira prova da temporada mesmo sem contar com todo novo equipamento

Estadão Conteúdo

02 de abril de 2018 | 14h34

O quinto lugar no GP da Austrália deixou o espanhol Fernando Alonso animado para o restante da temporada. Apesar de não ir ao pódio, o bicampeão mundial conseguiu o melhor resultado dos últimos três anos da escuderia na Fórmula 1.

+ Mercedes culpa calculadora virtual por erro que tirou vitória de Hamilton

+ Alonso celebra 5º lugar, mas diz que McLaren ainda 'não atingiu todo o potencial'

"Vimos o potencial do carro. Entendemos que temos uma boa máquina em nossas mãos", disse nesta segunda-feira. "Agora é a hora da McLaren voltar ao topo e brigar diretamente com as principais equipes do mundo: Red Bull, Ferrari e Mercedes", prosseguiu.

Seu companheiro de equipes, o belga Stoffel Vandoorne, ficou em nono lugar na etapa inaugural da temporada e deixou a escuderia na quarta colocação no Mundial de Construtores. "Para estar em grande nível temos que ser ainda melhores que nossos concorrentes. Por isso, temos que tirar essa diferença o mais rápido possível", complementou Alonso.

A McLaren levou à Austrália apenas parte do novo equipamento. Por isso, espera que muitos dos problemas sejam superados na próxima corrida, no GP do Bahrein, no próximo domingo. O diretor de corridas da escuderia, Eric Boullier, está otimista sobre o futuro da equipe.

"É encorajador ver a Red Bull competindo no mesmo nível de corrida de Mercedes e Ferrari", disse. "Também é possível notar que há uma diferença entre o ritmo do classificatório e o ritmo da corrida. Nosso ritmo de corrida é mais competitivo do que nosso ritmo no classificatório", afirmou.

"Temos grande potencial e performance para serem destrancados. Fernado (Alonso) sabe o que está por vir, o que temos e que ainda não podemos utilizar hoje. Mas essas mudanças serão feitas nas próximas corridas. Temos muitas coisas a apresentar que não pudemos levar para a Austrália", finalizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.