Ferrari abre temporada da F-1 com apresentação do F-2008

Novamente com o número 1, equipe italiana é a primeira a mostrar seu carro para o Mundial de 2008

05 de janeiro de 2008 | 12h21

Atual campeã mundial de pilotos e construtores, a Ferrari será a primeira equipe a apresentar seu carro para a temporada 2008. Será neste domingo, na fábrica de Maranello, num evento discreto que marca uma mudança de era na mais tradicional equipe de Fórmula 1.   Pela primeira vez desde 1994 o responsável pelo carro não será o francês Jean Todt, desde o ano anterior chefe da equipe. A partir desta temporada, a direção esportiva da equipe, cargo máximo no organograma ferrarista, está a cargo do italiano Stefano Domenicali, um funcionário de carreira que quase acabou barrado por um monstro do automobilismo: Michael Schumacher.   Todt contou, em entrevista durante a semana, que o heptacampeão mundial foi sondado para o posto e era considerado "o melhor candidato", mas recusou a oferta e deve permanecer como consultor, cargo que ocupa desde que se aposentou como piloto, no fim de 2006 - e que o levou a acompanhar várias corridas ao vivo no ano passado.   O F-2008 será, segundo o projetista Nicolas Tombazis, uma "evolução natural" do F-2007, carro que no ano passado levou Kimi Raikkonen a seis vitórias e ao título mundial de pilotos na última prova, o GP do Brasil, e que conquistou o Mundial de Construtores com folga, após a eliminação da McLaren por causa do escândalo de espionagem - motivo pelo qual, aliás, os dirigentes da Ferrari têm ironizado a rival inglesa. "É um carro tão bom que levou quatro pilotos a vitórias", disse no mês passado o presidente da escuderia italiana, Luca di Montezemolo.   Tombazis diz que as mudanças feitas vão ajudar Raikkonen e Felipe Massa a ter melhor desempenho nas pistas mais lentas, principal deficiência do modelo em relação às McLaren em 2007.   Depois de apresentado, o carro irá à pista no dia seguinte, sob os cuidados de Raikkonen - segundo Todt, escolhido como sucessor de Schumacher por causa de sua "personalidade", em detrimento de Fernando Alonso, que também teria sido sondado à época.   Massa só deve andar com o carro nos testes de fevereiro, um ponto negativo para quem espera ter o mesmo tratamento do campeão mundial na equipe. Com o número 2 pintado em seu bico, o mesmo que Rubens Barrichello envergou em cinco de suas seis temporadas na Ferrari, de 2001 a 2005, o brasileiro foi o primeiro a dirigir o F-2007, e agora terá de provar na pista que pode superar Raikkonen.   Outras equipes   A McLaren não ficará muito atrás da Ferrari em 2008, ao menos no quesito "lançamento de carro": seu novo modelo será lançado na segunda-feira, um dia depois dos italianos, durante evento no museu da Mercedes-Benz, em Stuttgart, na Alemanha. A equipe anglo-germânica tem o desafio de juntar os cacos após o péssimo fim do ano passado, quando viu um título certo escapar por causa do péssimo relacionamento entre seus pilotos.   Sem Alonso, que fez as malas e voltou para a Renault, Lewis Hamilton terá, aos 23 anos, terá de mostrar se é mesmo o espantoso talento que encantou nas primeiras provas de 2007, ou se é apenas mais um jovem rápido que contou com a sorte de ter um bicampeão mundial ao lado para copiar acertos, e que não agüentou a pressão, cometendo erros bobos que lhe custaram o título nas últimas duas provas. Terá a seu lado o jovem Heikki Kovalainen, que terminou bem o ano e já provou ser veloz o bastante para incomodar.   A Renault, com Alonso e Nelsinho Piquet, só apresenta seu novo carro no fim do mês - até lá, vai trabalhar duro para evoluir, depois de uma temporada fraca em 2007. Antes dos franceses, mostram seus novos modelos a Toyota, no dia 10; a BMW, dia 14; a Red Bull, dia 16; e a Honda, no dia 29. Williams, Toro Rosso, Super Aguri e a estreante Force India ainda não divulgaram as datas de lançamento.

Tudo o que sabemos sobre:
FerrariFórmula 1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.