Divulgação/Fórmula 1
Divulgação/Fórmula 1

Ferrari anuncia o espanhol Carlos Sainz como substituto de Vettel a partir de 2021

Ex-piloto da McLaren era um dos nomes mais cotados para assumir a vaga e chega com contrato válido até 2023

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de maio de 2020 | 07h28

Dois dias depois de anunciar a saída de Sebastian Vettel, a Ferrari agiu rápido e já confirmou a contratação de Carlos Sainz Jr como novo piloto da equipe. O espanhol de 25 anos firmou contrato válido até 2023 e deixa a McLaren após esse ano. Daniel Ricciardo entra em seu lugar. "Estou muito feliz de pilotar pela escuderia Ferrari em 2021 e estou animado pelo meu futuro no time. Ainda tenho um ano importante com a McLaren e estou ansioso para correr novamente com o time nesta temporada", disse Sainz, em nota divulgada pela Ferrari. 

Será a quarta equipe de Sainz em sete anos na F-1. Entre 2015 e 2017 ele correu pela Toro Rosso e no meio da temporada foi para a francesa Renault. No ano passado, Sainz se transferiu para a McLaren e agora será piloto da Ferrari.

"Estou feliz em anunciar que Carlos vai fazer parte da Ferrari em 2021", disse Mattia Binotto, chefe de equipe. "Com cinco temporadas de experiência, Carlos provou ser talentoso e mostrou ter habilidades técnicas e atributos que o tornam um encaixe ideal na nossa família. Nós embarcamos em um novo ciclo com o objetivo de voltar ao topo na Fórmula 1. Será uma longa jornada, com dificuldades, especialmente pela situação financeira e de regulamento, que passa por mudanças, e esse desafio precisa ser encarado de forma diferente ao passado recente." Binotto mantém a esperança de andar no mesmo tempo de sua maior rival atualmente, a Mercedes, de Lewis Hamilton. "Acreditamos que uma dupla de pilotos com o talento e personalidade de Charles e Carlos, a mais jovem dos últimos 50 anos da escuderia, é a melhor possível para nos ajudar a alcançar os objetivos que determinamos."

O nome de Sainz já circulava como o mais cotado para a vaga de Vettel, que ainda não tem futuro definido. A especulação ganhou mais força após o pai de Carlos Sainz, de mesmo nome, dar declarações sobre o futuro do filho. "Não posso falar muita coisa porque não quero iludir ninguém, mas está claro que as coisas estão acelerando e que as equipes não vão esperar a temporada começar", declarou o pai, que foi piloto de rali.

Em 2019, Sainz encarou a difícil missão de substituir o compatriota Fernando Alonso na McLaren. E não fez feio. Mesmo diante das limitações do time britânico, terminou o campeonato numa honrosa sexta colocação geral. Neste ano, quando o campeonato foi iniciado, fará sua segunda temporada pela tradicional equipe da F-1.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.