Edgar Su/Reuters
Edgar Su/Reuters

Ferrari anuncia que Vettel só continuará na equipe até o fim deste ano

Após decisão consensual, piloto alemão não terá o contrato renovado e deixará a escuderia ao fim da temporada

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de maio de 2020 | 07h41

A Ferrari e o piloto alemão Sebastian Vettel anunciaram nesta terça-feira o fim da longa parceria estabelecida entre ambos na Fórmula 1. As duas partes divulgaram comunicado em que oficializam a permanência do tetracampeão na escuderia italiana somente até o fim deste ano. Com contrato válido somente até dezembro, Vettel não vai renovar o vínculo e ainda não divulgou qual será o seu destino em 2021.

Vettel chegou à escuderia em italiana no início de 2015 após quatro títulos pela Red Bull. Pela Ferrari as duas melhores temporadas foram em 2017 e 2018, com dois vice-campeonatos. "O time e eu decidimos que não há mais desejo comum para permanecermos juntos para depois do fim desta temporada. Problemas financeiros não tiveram parte nesta decisão em conjunto", disse o piloto.

O alemão agradeceu ao carinho da torcida e prometeu que durante os próximos meses do ano vai se dedicar à escuderia, assim como pensar no futuro. "É preciso usar a imaginação e criar uma nova abordagem própria para uma situação que mudou. Eu mesmo reservarei o tempo necessário para refletir sobre o que realmente importa quando se trata do meu futuro", comentou. "Meu objetivo imediato é terminar minha longa temporada com a Ferrari, na esperança de compartilhar mais alguns momentos bonitos juntos", completou.

Pela Ferrari o piloto conquistou 14 vitórias e 12 pole positions. A temporada de 2019 foi a pior de Vettel pela Ferrari, ao ter encerrado a temporada com a quinta posição e atrás do companheiro de equipe, o monegasco Charles Leclerc. Os dois, inclusive, tiveram uma série de desentendimentos ao longo do ano. Um dos momentos mais tensos foi a batida entre ambos durante o GP do Brasil, quando ambos abandonaram a prova.

A escuderia italiana não indicou ainda qual será o substituto de Vettel. O chefe da Ferrari, Matia Binotto, reiterou que a decisão de não renovar o contrato com o piloto partiu de um consenso. "Não houve nenhuma razão específica que levou a essa decisão, além da crença comum e amigável de que tinha chegado a hora de seguirmos caminhos separados para alcançar nossos objetivos", explicou.

Como por causa da pandemia do novo coronavírus a temporada 2020 só tem a previsão de começar em julho, Binotto diz torcer para que seja um campeonato memóravel. "Ainda não conseguimos conquistar um título mundial juntos, o que seria um quinto para ele, mas acreditamos que ainda podemos tirar muito proveito desta temporada incomum de 2020", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.