Dimitar Dilkoff/AFP
Dimitar Dilkoff/AFP

Ferrari anuncia saída de Alonso e chegada de Sebastian Vettel

Escuderia italiana contrata atual tetracampeão da Fórmula 1 por três anos; Alonso deve ser anunciado na McLaren nos próximos dias

O Estado de S. Paulo

20 de novembro de 2014 | 09h17

A Ferrari confirmou nesta quinta-feira que Fernando Alonso deixará a equipe ao fim desta temporada e que Sebastian Vettel, tetracampeão da Fórmula 1, será seu substituto - o alemão que defende a Red Bull assinou contrato por três anos e terá o finlandês Kimi Raikkonen como parceiro. "Oficial: após cinco anos, 1.186 pontos, 44 pódios e 11 vitórias, Fernando Alonso deixará a Ferrari", anunciou a escuderia em uma mensagem no Twitter. "Obrigada, Fernando!".

 

O piloto espanhol de 33 anos e duas vezes campeão do mundo deve ser confirmado na McLaren nos próximos dias. Alonso agradeceu e disse que foi "um orgulho" fazer parte do time italiano. "Recebi tanto carinho dos tifosi... Houve muita conexão desde o primeiro momento. Obrigada, sempre. Foram momentos mágicos".

 

A Ferrari destacou que o fim do contrato de Alonso, que tinha compromisso com a equipe até o fim de 2016, foi feito de forma amistosa, e agradeceu pela "grande contribuição humana e profissional" do piloto. "Dedicamos a ele os nossos mais sinceros agradecimentos por sua extraordinária participação na Scuderia, que nos ajudou a ficar próximos do título em duas ocasiões nos últimos cinco anos. Estou certo de que um grande piloto como Fernando sempre levará o 'cavalinho' em seu coração", declarou o chefe de equipe Marco Mattiacci.

Alonso afirmou que foi uma decisão difícil deixar a Ferrari, mas muito ponderada. "Sempre tive a sorte de poder decidir meu futuro e agora volto a ter essa oportunidade. Agradeço a Ferrari, que se mostrou compreensiva para entender minha decisão", avaliou. "Estou orgulhoso de tudo o que conseguimos ao longo de cinco anos. Graças ao esforço de homens e mulheres em Maranello, pudemos alcançar três vice-campeonatos, chegando a brigar pelo título em dois deles até a última corrida", destacou o piloto sobre as temporadas de 2010 e 2012, perdidas justamente para Vettel.

 

O espanhol também anunciou que usará um capacete no GP de Abu Dabi, no domingo, decorado com uma foto e as assinaturas de seus mecânicos, e também com a bandeira italiana. "Quero levar comigo no carro toda a equipe".

Já Vettel, de 27 anos, deixa a Red Bull após seis temporadas e deve defender a Ferrari pelo menos até 2017. "Ele representa uma combinação única de juventude e experiência, e traz consigo um espírito de equipe fundamental para que, junto com Kimi, consigamos voltar a ser protagonistas o mais rápido possível", avaliou Mattiacci.

Get Adobe Flash player

Para o alemão, competir na Ferrari é a "realização deu um sonho". "Quando era criança, Michael Schumacher em seu carro vermelho era o meu maior ídolo. Agora, será uma grande honra poder pilotar uma Ferrari. Já tive uma pequena amostra do que é o espírito dessa eqiupe quando venci pela primeira vez em Monza, em 2008, com um motor do 'cavalinho rampante' construído em Maranello", disse o piloto, lembrando da vitória que conquistou com a equipe Toro Rosso.

Será a primeira vez que um tetracampeão do mundo é contratado pela Ferrari, já que o heptacampeão Michael Schumacher chegou à escuderia italiana, em 1996, com dois títulos vencidos na Benetton e venceu outras cinco vezes com a equipe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.