Ferrari cancela festa pelo título

"Não há planos de cancelamento para os futuros GPs", afirmou nesta quarta-feira a assessoria do presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), o inglês Max Mosley. "Iremos a Monza, claro, mas a prova não terá mais o caráter de festa que imaginávamos. A Ferrari se apresenta para disputar o GP da Itália como campeã, mas isso não significa nada", disse Luca di Montezemolo, presidente da empresa, referindo-se ao ocorrido nos Estados Unidos, terça-feira. Os treinos livres da prova de Monza começam na sexta-feira. Os vencedores, porém, já foram avisados: "As comemorações do pódio estão canceladas", disse nesta quarta-feira Paolo Montagna, do Automóvel Clube da Itália, organizador do evento.A FIA tratou de esclarecer logo as dúvidas sobre a realização das três etapas que restam no Mundial: domingo o GP da Itália, dia 30, o dos Estados Unidos, em Indianápolis, e 14 de outubro, do Japão, em Suzuka. "Todos estão confirmados." E o proprietário do circuito norte-americano, Tony George, endossou nesta quarta-feira a orientação da entidade: "Não esperamos nenhuma modificação na programação anunciada", afirmou.Até esta quarta-feira o tráfego aéreo continuava interrompido nos Estados Unidos, o que já está colocando a corrida em xeque. "Nosso combustível está parado no aeroporto, aguardando a liberação para embarque", explicou Rogério Gonçalves, engenheiro da Petrobras, empresa que fornece gasolina para a equipe Williams, favorita para vencer domingo em Monza.Os equipamentos de outros times também esperam, na Europa, a liberação dos vôos para Nova York e Chicago. A confirmação ou mesmo cancelamento do GP dos Estados Unidos serão discutidas durante o GP da Itália.As manifestações do mundo da F-1 às vítimas dos atentados em Nova York e Washington se sucedem. Nesta quarta-feira deveria acontecer uma partida de futebol denominada GP da Solidariedade, no estádio Brianteo, de Monza, com a presença de Michael Schumacher, Jarno Trulli e Giancarlo Fisichella, dentre outros pilotos. Ela foi cancelada, anunciou Sabine Khem, assessora do alemão. O Automóvel Clube da Itália, além de proibir qualquer celebração no pódio desfez a grande festa programada para domingo no autódromo, para comemorar com os italianos a conquista do Mundial pela Ferrari. "Estavam previstas a apresentação de uma banda e um show da aviação", informou Paolo Montagna.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.