Andrej Isakovic / AFP
Andrej Isakovic / AFP

Ferrari confirma que Kimi Raikkonen não permanecerá na escuderia em 2019

Substituto do último campeão mundial da escuderia já está definido: será Charles Leclerc, piloto de 20 anos

Estadão Conteúdo

11 Setembro 2018 | 09h02

A Ferrari anunciou nesta terça-feira uma surpreendente mudança em seu quadro de pilotos. O time italiano informou que o experiente finlandês Kimi Raikkonen vai deixar a equipe no fim do ano para defender a Sauber a partir de 2019. Para o seu lugar, os italianos terão o monegasco Charles Leclerc, que estreou na Fórmula 1 neste ano.

Raikkonen, que completará 39 anos no próximo mês, assinou vínculo por duas temporadas com a Sauber, equipe com a qual iniciou sua trajetória na F-1, em 2001. Campeão mundial em 2007, o finlandês é um dos mais experientes do grid, disputando sua 16ª temporada na categoria. Somente o espanhol Fernando Alonso tem mais quilometragem na F-1, em sua 17ª temporada.

Toda essa experiência será trocada pela juventude e talento de Leclerc, de apenas 20 anos. O atleta de Mônaco integra a academia da Ferrari, que forma novos pilotos, defende em seu primeiro campeonato a Sauber, equipe que se tornou uma espécie de time satélite dos italianos nestes últimos anos.

Demonstrando habilidade em sua primeira temporada na F-1, Leclerc já era apontado como possível substituto de Raikkonen desde a primeira metade do campeonato. Porém, a morte de Sergio Marchionne, que era o principal executivo da grupo Fiat-Chrysler (FCA) e presidente da Ferrari, parecia ter mudado os planos da equipe quanto a sua dupla de pilotos.

Marchionne era favorável à aposta na juventude de Leclerc para 2019. No entanto, seus sucessores se inclinavam a manter a experiência de Raikkonen lado a lado com o alemão Sebastian Vettel na equipe. Por isso, surpreendeu a troca de pilotos anunciada nesta terça.

"Foi um grande prazer poder apoiar Charles Leclerc em seu ano de estreante na Fórmula 1. Desde a sua chegada, ele nos deu grande motivação. Ele vem melhorando constantemente e vai continuar trabalhando duro até o fim do campeonato para alcançar sua melhor colocação possível junto com a gente. Estamos cientes do talento de Charles e temos certeza de que ele terá um futuro brilhante", declarou Frederic Vasseur, chefe de equipe da Sauber.

O piloto de Mônaco chegou à Fórmula 1 neste ano no embalo de conquistas recentes nas categorias de acesso. Ele foi campeão da GP3 em 2016 e também levantou o título na Fórmula 2, logo em sua temporada de estreia. Seu desenvolvimento na academia da Ferrari e os resultados o credenciaram para uma das vagas da Sauber neste ano.

Em sua primeira temporada na F-1, Leclerc tem como melhor resultado o sexto lugar obtido no GP do Azerbaijão, em Baku. No Mundial de Pilotos, ocupa o 15º posto, com 13 pontos, mais do que o dobro dos seis pontos obtidos pelo sueco Marcus Ericsson, seu companheiro de Sauber, até agora.

Raikkonen, por sua vez, completará a troca entre Sauber e Ferrari. "Contratar Kimi Raikkonen como piloto representa um importante pilar do nosso projeto, e nos aproxima da nossa meta de fazer grande progresso como time no futuro", afirmou Vasseur. "O inquestionável talento de Kimi e sua imensa experiência na F-1 não apenas vão contribuir com o desenvolvimento do nosso car como também vai acelerar nosso crescimento da equipe como um todo."

O finlandês, que seguirá na Ferrari até o fim do campeonato, soma atualmente 20 vitórias e 100 pódios na carreira. Nove destas vitórias foram conquistadas com o carro italiano, onde pilota desde 2014. Esta é sua segunda passagem pela equipe. A primeira aconteceu entre 2007 e 2009, quando chegou a dividir o time com o brasileiro Felipe Massa. Depois disso, deixou a categoria para competir no Mundial de Rally por dois anos. Seu retorno à F-1 aconteceu em 2012, pela Lotus.

"Durante estes anos, a contribuição de Kimi para o time, tanto como piloto quanto como ser humano, foi fundamental. Ele exerceu papel decisivo no crescimento do time e foi, ao mesmo tempo, sempre um grande atleta. Por ser campeão pela Ferrari, ele sempre será parte da história e da família Ferrari. Agradecemos a Kimi por tudo e desejamos o melhor para ele e sua família", afirmou o time italiano, em comunicado.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.